Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Tarifa de ônibus de Maringá é cara demais para o trabalhador assalariado

Várias entidades, entre as quais está a União Maringaense dos Estudantes Secundaristas, têm protestado contra o aumento da tarifa de ônibus em Maringá.

Escrito por: • Publicado em: 05/06/2013 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 05/06/2013 - 00:00

Os manifestos vão desde panfletagem no Centro da cidade à exposição de faixas durante sessões da Câmara Municipal.
Com a alta de 6%, aprovada pelo prefeito Pupin, a passagem nos ônibus da TCCC subiu de R$ 2,50 para R$ 2,65 no cartão. No dinheiro, a passagem agora custa R$ 3,15 – uma das mais caras do País.
O SISMMAR apoia os manifestos contra o aumento das passagens, por entender que o preço da tarifa teria que reduzir e não aumentar. O custo é elevado demais para o trabalhador assalariado e acaba incentivando mais pessoas a trocar o transporte coletivo pelo individual (motos populares, por exemplo).
O vereador Humberto Henrique (PT), que também é contra o aumento, publicou em seu blog argumentos contra a alta na tarifa. Confira aqui.
Fonte: SISMMAR

Título: Tarifa de ônibus de Maringá é cara demais para o trabalhador assalariado, Conteúdo: Os manifestos vão desde panfletagem no Centro da cidade à exposição de faixas durante sessões da Câmara Municipal. Com a alta de 6%, aprovada pelo prefeito Pupin, a passagem nos ônibus da TCCC subiu de R$ 2,50 para R$ 2,65 no cartão. No dinheiro, a passagem agora custa R$ 3,15 – uma das mais caras do País. O SISMMAR apoia os manifestos contra o aumento das passagens, por entender que o preço da tarifa teria que reduzir e não aumentar. O custo é elevado demais para o trabalhador assalariado e acaba incentivando mais pessoas a trocar o transporte coletivo pelo individual (motos populares, por exemplo). O vereador Humberto Henrique (PT), que também é contra o aumento, publicou em seu blog argumentos contra a alta na tarifa. Confira aqui. Fonte: SISMMAR



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.