Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

SISMMAR mais uma vez pede a retirada do projeto de terceirização do lixo

No documento foi exigida a suspensão da votação do Projeto de Lei e convocação pública prévia coordenada pela Câmara de Vereadores para esclarecer todas as dúvidas em relação à proposta.

Escrito por: • Publicado em: 08/08/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 08/08/2014 - 00:00

Na reunião semanal desta segunda-feira, 4, realizada pelos vereadores, dirigentes do SISMMAR e demais entidades entregaram documento ao Legislativo solicitando providencias em relação ao projeto de lei que autoriza o município a contratar Parceria Público-privada (Terceirização) para realizar a coleta, tratamento e destinação do lixo urbano.
Os vereadores demonstraram apenas a intenção de fazer mudanças no projeto inicial incluindo alguns aspectos, porém no entendimento do SISMMAR isso não é válido, pois será mais um aditivo inconstitucional, tendo em vista, que alterações no texto podem ser feitas apenas pelo Executivo, autor da matéria.
Entidades reivindicaram que o projeto seja apresentado como um todo para avaliação do Conselho Pró Catador, órgão técnico responsável. O sindicato vai lutar até o fim contra mais este ataque da administração, e defendemos que, se os vereadores aprovarem este projeto estarão assinando um cheque em branco e os (as) servidores (as) e a população mais uma vez pagarão o preço pelas atitudes desta (má) gestão.
Fonte: SISMMAR

Título: SISMMAR mais uma vez pede a retirada do projeto de terceirização do lixo, Conteúdo: Na reunião semanal desta segunda-feira, 4, realizada pelos vereadores, dirigentes do SISMMAR e demais entidades entregaram documento ao Legislativo solicitando providencias em relação ao projeto de lei que autoriza o município a contratar Parceria Público-privada (Terceirização) para realizar a coleta, tratamento e destinação do lixo urbano. Os vereadores demonstraram apenas a intenção de fazer mudanças no projeto inicial incluindo alguns aspectos, porém no entendimento do SISMMAR isso não é válido, pois será mais um aditivo inconstitucional, tendo em vista, que alterações no texto podem ser feitas apenas pelo Executivo, autor da matéria. Entidades reivindicaram que o projeto seja apresentado como um todo para avaliação do Conselho Pró Catador, órgão técnico responsável. O sindicato vai lutar até o fim contra mais este ataque da administração, e defendemos que, se os vereadores aprovarem este projeto estarão assinando um cheque em branco e os (as) servidores (as) e a população mais uma vez pagarão o preço pelas atitudes desta (má) gestão. Fonte: SISMMAR



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.