Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Sindicato entrará na justiça cobrando piso salarial de agentes de saúde e endemias de Mulungu

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mulungu realizou audiência na quarta-feira (15/10)

Escrito por: • Publicado em: 05/11/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 05/11/2014 - 00:00

Com a Prefeitura da cidade para discutir a implantação do piso nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias. A reunião foi acompanhada pela presidenta da Fetamce, Enedina Soares, durante visita da dirigigente à regional do Maciço de Baturité.
No encontro, o executivo municipal confirmou que retirou o projeto de lei que regulamentava o piso, que havia sido enviado à Câmara. A Prefeitura alega que o município só teria condições de aplicar a Lei federal a partir de janeiro, quando, segundo eles, será dado aporte complementar dos recursos da saúde pelo Governo brasileiro.
O sindicato não concordou com a medida e vai entrar com ação na justiça cobrando o cumprimento da lei sancionada em julho deste ano e que tem aplicação imediata. “Queremos o que nos é de direito, queremos o piso de R$ 1.014 aplicado imediatamente para as duas categorias”, afirmou a direção da entidade laboral.
Saiba mais sobre a Lei clicando AQUI.

Título: Sindicato entrará na justiça cobrando piso salarial de agentes de saúde e endemias de Mulungu, Conteúdo: Com a Prefeitura da cidade para discutir a implantação do piso nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias. A reunião foi acompanhada pela presidenta da Fetamce, Enedina Soares, durante visita da dirigigente à regional do Maciço de Baturité. No encontro, o executivo municipal confirmou que retirou o projeto de lei que regulamentava o piso, que havia sido enviado à Câmara. A Prefeitura alega que o município só teria condições de aplicar a Lei federal a partir de janeiro, quando, segundo eles, será dado aporte complementar dos recursos da saúde pelo Governo brasileiro. O sindicato não concordou com a medida e vai entrar com ação na justiça cobrando o cumprimento da lei sancionada em julho deste ano e que tem aplicação imediata. “Queremos o que nos é de direito, queremos o piso de R$ 1.014 aplicado imediatamente para as duas categorias”, afirmou a direção da entidade laboral. Saiba mais sobre a Lei clicando AQUI.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.