Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Servidores municipais de Cametá denunciam atraso no pagamento de salários pela Prefeitura

Municipais reclamam ainda que representantes da prefeitura estão atacando publicamente o sindicato da categoria, com o objetivo de atingir a imagem da entidade entre servidores e munícipes

Escrito por: Confetam • Publicado em: 03/11/2016 - 14:19 • Última modificação: 04/11/2016 - 15:09 Escrito por: Confetam Publicado em: 03/11/2016 - 14:19 Última modificação: 04/11/2016 - 15:09

. .

A prefeitura do município de Cametá, no Estado do Pará, está atrasando os salários do funcionalismo. A denúncia é dos próprios servidores municipais. De acordo com o sindicato da categoria, a entidade tenta, sem sucesso, desde o início do ano, agendar uma reunião com o prefeito para solucionar o problema, mas a administração não tem demonstrado disposição em receber os representantes da entidade.

Os servidores reclamam que a prefeitura nunca recepcionou o sindicato, nem reconheceu politicamente a entidade, e que, após as eleições, os salários continuam muito atrasados. De acordo com a direção do sindicato dos trabalhadores, vários servidores receberam os salários com cortes, boa parte recebeu somente no dia 20 e outra parte nem sequer recebeu. Por isso, os dirigemtes sindicais continuam insistindo, mas ainda não conseguiram nenhum diálogo com o governo municipal. 

Mandado de segurança

Sem a abertura de canais de negociação por parte da gestão, o sindicato entrou com uma Mandado de Segurança solicitando que a Justiça dê uma prazo de 72 horas para a administração apresentar um plano de pagamento dos servidores até o mês de dezembro. Se a prefeitura não apresentar o plano, ou se não for convincente nas explicações ao Judiciário, o sindicato pedirá ao juiz que bloquei até 60% das verbas ou o percentual da receita do município necessário para cobrir a folha de pagamento.

O sindicato também levou o caso ao conhecimento do Ministério Público, que marcou uma audiência para o dia 31 de outubro, com a participação do prefeito, de sindicatos estaduais e de um grupo independente se servidores. Como se não bastassem as irregularidades cometidas pela prefeitura, representantes da gestão ainda estão atacando publicamente o sindicato, num processo de difamação que tenta atingir a imagem da entidade perante a categoria e os munícipes. 

Solidariedade

Em nome da Confederação dos Servidores Públicos Municipais (Confetam/CUT), a presidente Vilani Oliveira hipotecou total solidariedade aos servidores municipais de Cametá e disse que a entidade enviará uma carta ao gabinete do prefeito exigindo a imediata abertura de canal de negociação entre o sindicato e a gestão.

"O nosso apelo é no sentido de que o prefeito respeite o sindicato dos trabalhadores e receba imediatamente a entidade para que se encontre conjuntamente uma solução para o problema de atraso no pagamento dos salários, uma situação que consideramos inadmissível", afirma a presidente da Confetam/CUT). 

Título: Servidores municipais de Cametá denunciam atraso no pagamento de salários pela Prefeitura, Conteúdo: A prefeitura do município de Cametá, no Estado do Pará, está atrasando os salários do funcionalismo. A denúncia é dos próprios servidores municipais. De acordo com o sindicato da categoria, a entidade tenta, sem sucesso, desde o início do ano, agendar uma reunião com o prefeito para solucionar o problema, mas a administração não tem demonstrado disposição em receber os representantes da entidade. Os servidores reclamam que a prefeitura nunca recepcionou o sindicato, nem reconheceu politicamente a entidade, e que, após as eleições, os salários continuam muito atrasados. De acordo com a direção do sindicato dos trabalhadores, vários servidores receberam os salários com cortes, boa parte recebeu somente no dia 20 e outra parte nem sequer recebeu. Por isso, os dirigemtes sindicais continuam insistindo, mas ainda não conseguiram nenhum diálogo com o governo municipal.  Mandado de segurança Sem a abertura de canais de negociação por parte da gestão, o sindicato entrou com uma Mandado de Segurança solicitando que a Justiça dê uma prazo de 72 horas para a administração apresentar um plano de pagamento dos servidores até o mês de dezembro. Se a prefeitura não apresentar o plano, ou se não for convincente nas explicações ao Judiciário, o sindicato pedirá ao juiz que bloquei até 60% das verbas ou o percentual da receita do município necessário para cobrir a folha de pagamento. O sindicato também levou o caso ao conhecimento do Ministério Público, que marcou uma audiência para o dia 31 de outubro, com a participação do prefeito, de sindicatos estaduais e de um grupo independente se servidores. Como se não bastassem as irregularidades cometidas pela prefeitura, representantes da gestão ainda estão atacando publicamente o sindicato, num processo de difamação que tenta atingir a imagem da entidade perante a categoria e os munícipes.  Solidariedade Em nome da Confederação dos Servidores Públicos Municipais (Confetam/CUT), a presidente Vilani Oliveira hipotecou total solidariedade aos servidores municipais de Cametá e disse que a entidade enviará uma carta ao gabinete do prefeito exigindo a imediata abertura de canal de negociação entre o sindicato e a gestão. O nosso apelo é no sentido de que o prefeito respeite o sindicato dos trabalhadores e receba imediatamente a entidade para que se encontre conjuntamente uma solução para o problema de atraso no pagamento dos salários, uma situação que consideramos inadmissível, afirma a presidente da Confetam/CUT). 



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.