Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Servidores da saúde mantêm estado de greve

O estado de greve dos servidores da saúde está mantido.

Escrito por: • Publicado em: 16/10/2013 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 16/10/2013 - 00:00

Porém, o início da paralisação das unidades de saúde, marcado para este dia 15 de outubro, está suspenso por 30 dias, até que a gestão municipal tenha o tempo solicitado para estudar as propostas discutidas nas reuniões da semana passada e responda as pautas da categoria. Caso contrário, a saúde de Curitiba entra em greve. Durante esse período, os servidores trabalharão com uma tarja preta e um botom lembrando as pautas.
A assembleia desta segunda-feira (14) encaminhou também um ato no dia 9 de novembro, com concentração a partir das 10h na Praça Santos Andrade.
A gestão se comprometeu a se posicionar de forma clara em relação a prazos para a incorporação do IDQ e outras pautas em reunião marcada para o próximo dia 12 de novembro. Em relação à incorporação em si, o secretário de saúde Adriano Massuda já se posicionou de forma favorável. “Esta incorporação será de forma escalonada, mas o objetivo é chegar no que o sindicato propôs. O que vocês apresentam é viável. Este valor pode ser inclusive maior”, sinalizou na reunião do dia 10.
O valor proposto pelo sindicato foi de R$286 no salário de cada servidor, que, somados aos R$100 já incorporados em março, garantiriam a isonomia em relação aos outros servidores da PMC. A ideia é que a avaliação de desempenho seja tratada de forma independente a esta incorporação.
A expectativa dos servidores é que a Prefeitura cumpra sua palavra e apresente respostas no dia 12. “A nossa expectativa é que eles cumpram o que foi acordado na mesa de negociação. A união dos servidores foi muito importante para que a gente tenha essa negociação”, lembra Antônia Ferreira, auxiliar de enfermagem.
Comissão paritária
Os servidores também definiram os representantes dos trabalhadores na comissão que deve fazer um estudo aprofundado sobre a escala de trabalho em todas as unidades de saúde. Depois de uma votação, a assembleia escolheu os nomes da coordenadora do Sismuc Diana Guérios, a enfermeira Valquíria Cordeiro e os auxiliares de enfermagem Patrícia Pompermayer e Paulo Peixoto.
Autor: Bruno Zermiani

 
Título: Servidores da saúde mantêm estado de greve, Conteúdo: Porém, o início da paralisação das unidades de saúde, marcado para este dia 15 de outubro, está suspenso por 30 dias, até que a gestão municipal tenha o tempo solicitado para estudar as propostas discutidas nas reuniões da semana passada e responda as pautas da categoria. Caso contrário, a saúde de Curitiba entra em greve. Durante esse período, os servidores trabalharão com uma tarja preta e um botom lembrando as pautas. A assembleia desta segunda-feira (14) encaminhou também um ato no dia 9 de novembro, com concentração a partir das 10h na Praça Santos Andrade. A gestão se comprometeu a se posicionar de forma clara em relação a prazos para a incorporação do IDQ e outras pautas em reunião marcada para o próximo dia 12 de novembro. Em relação à incorporação em si, o secretário de saúde Adriano Massuda já se posicionou de forma favorável. “Esta incorporação será de forma escalonada, mas o objetivo é chegar no que o sindicato propôs. O que vocês apresentam é viável. Este valor pode ser inclusive maior”, sinalizou na reunião do dia 10. O valor proposto pelo sindicato foi de R$286 no salário de cada servidor, que, somados aos R$100 já incorporados em março, garantiriam a isonomia em relação aos outros servidores da PMC. A ideia é que a avaliação de desempenho seja tratada de forma independente a esta incorporação. A expectativa dos servidores é que a Prefeitura cumpra sua palavra e apresente respostas no dia 12. “A nossa expectativa é que eles cumpram o que foi acordado na mesa de negociação. A união dos servidores foi muito importante para que a gente tenha essa negociação”, lembra Antônia Ferreira, auxiliar de enfermagem. Comissão paritária Os servidores também definiram os representantes dos trabalhadores na comissão que deve fazer um estudo aprofundado sobre a escala de trabalho em todas as unidades de saúde. Depois de uma votação, a assembleia escolheu os nomes da coordenadora do Sismuc Diana Guérios, a enfermeira Valquíria Cordeiro e os auxiliares de enfermagem Patrícia Pompermayer e Paulo Peixoto. Autor: Bruno Zermiani  



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.