Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Sem negociar com servidores, prefeito de Florianópolis prejudica população

César Souza Júnior ofereceu um reajuste de 0%, contra uma inflação superior a 10%, o que provocou a greve dos servidores municipais.

Escrito por: Sintrasem • Publicado em: 07/03/2016 - 14:29 • Última modificação: 07/03/2016 - 17:43 Escrito por: Sintrasem Publicado em: 07/03/2016 - 14:29 Última modificação: 07/03/2016 - 17:43

Petra Mafalda Intransigência do gestor levou os servidores a cruzar os braços

Cada vez mais o prefeito César Souza Junior (PSD) dá mostras de seu descaso com toda a população de Florianópolis, primeiro retirando condições de atendimento ao povo e de trabalho dos servidores, forçando os trabalhadores à greve. Segundo, recusando a negociar aquilo que é direito dos trabalhadores.

A proposta inicial de reajuste da Prefeitura foi de 0%, contra uma inflação acumulada superior a 10%, segundo o DIEESE, e na Capital com o segundo maior aumento no valor da cesta básica em dezembro de 2015 (5,68%). Agora, o prefeito se recusa a negociar com o legítimo movimento grevista, causando a continuidade da paralisação.

A greve não é só por salários. É também por melhores condições de trabalho, uma batalha diária em todos os setores. Nas escolas, as crianças estão em salas lotadas e com falta de alimentação. Nas UPAs e centros de saúde, faltam antibióticos, álcool e roupas de cama, enquanto a demanda da saúde cresce constantemente, em parte pelo saneamento básico ruim da cidade. Na Assistência Social, as condições são precárias e inseguras. Em todos os locais de trabalho, a ordem da Prefeitura parece ser "cortar", mesmo quando há aumento na demanda.

Enquanto isso, o prefeito se nega a negociar, alegando que falta dinheiro para os servidores, mas não para os empresários. Para as empresas terceirizadas, o reajuste foi de cerca de 40%. A dívida não cobrada dos maiores devedores do Município chega a R$ 1,5 bilhão. Em outro exemplo, na Comcap, a Prefeitura não cumpriu o orçamento previsto, causando uma dívida milionária.

As atitudes da gestão de César Júnior dão provas do descaso da Prefeitura, o que causou a greve. A luta dos servidores é por todos. Serviço público valorizado significa condições de trabalho decentes para os trabalhadores e melhores condições no atendimento para a população. 

Negocia, prefeito! Dinheiro público é para o serviço público!

Título: Sem negociar com servidores, prefeito de Florianópolis prejudica população, Conteúdo: Cada vez mais o prefeito César Souza Junior (PSD) dá mostras de seu descaso com toda a população de Florianópolis, primeiro retirando condições de atendimento ao povo e de trabalho dos servidores, forçando os trabalhadores à greve. Segundo, recusando a negociar aquilo que é direito dos trabalhadores. A proposta inicial de reajuste da Prefeitura foi de 0%, contra uma inflação acumulada superior a 10%, segundo o DIEESE, e na Capital com o segundo maior aumento no valor da cesta básica em dezembro de 2015 (5,68%). Agora, o prefeito se recusa a negociar com o legítimo movimento grevista, causando a continuidade da paralisação. A greve não é só por salários. É também por melhores condições de trabalho, uma batalha diária em todos os setores. Nas escolas, as crianças estão em salas lotadas e com falta de alimentação. Nas UPAs e centros de saúde, faltam antibióticos, álcool e roupas de cama, enquanto a demanda da saúde cresce constantemente, em parte pelo saneamento básico ruim da cidade. Na Assistência Social, as condições são precárias e inseguras. Em todos os locais de trabalho, a ordem da Prefeitura parece ser cortar, mesmo quando há aumento na demanda. Enquanto isso, o prefeito se nega a negociar, alegando que falta dinheiro para os servidores, mas não para os empresários. Para as empresas terceirizadas, o reajuste foi de cerca de 40%. A dívida não cobrada dos maiores devedores do Município chega a R$ 1,5 bilhão. Em outro exemplo, na Comcap, a Prefeitura não cumpriu o orçamento previsto, causando uma dívida milionária. As atitudes da gestão de César Júnior dão provas do descaso da Prefeitura, o que causou a greve. A luta dos servidores é por todos. Serviço público valorizado significa condições de trabalho decentes para os trabalhadores e melhores condições no atendimento para a população.  Negocia, prefeito! Dinheiro público é para o serviço público!



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.