Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Secretaria de Cultura é desocupada depois de protesto contra André Sturm

Movimentos exigem saída imediata do secretário do comando da Pasta

Escrito por: Sindsep • Publicado em: 05/06/2017 - 16:33 • Última modificação: 05/06/2017 - 16:57 Escrito por: Sindsep Publicado em: 05/06/2017 - 16:33 Última modificação: 05/06/2017 - 16:57

Sindsep Ocupação iniciou no dia 31 de maio

Trabalhadores da Cultura do município de São Paulo deliberaram, em assembleia realizada na noite da última quinta-feira (1º), por desocupar o prédio da Secretaria de Cultura da cidade de maneira pacífica. A decisão foi tomada em função do entendimento dos integrantes da ocupação de que precisavam defender sua integridade física, pois conhecem a capacidade de violência do Estado. Eles saíram de cabeça erguida e comprometidos a continuar a luta pelas suas demandas e pelos pontos colocados na construção da Cultura do município. 

De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Paulo (Sindsep), os trabalhadores saem vitoriosos, pois venceram a invisibilidade imposta pela grande mídia e a repressão a que historicamente estão submetidos. A categoria expôs publicamente a incapacidade do secretário municipal de Cultura, André Sturm, e do prefeito João Doria Jr. de dialogarem. "Eles não vão bater na nossa cara de novo, como batem dia após dia em nossas quebradas", protestaram. 

A ocupação - realizada por movimentos, artistas e trabalhadores que atuam a favor da cultura -, iniciou na última quarta-feira (31) para exigir a saída imediata de Sturm do comando da Pasta. Nos seis primeiros meses de gestão, o secretário vem promovendo um processo de desmonte da Cultura, cometendo uma série de erros e impondo uma postura autoritária em relação aos trabalhadores, aos servidores públicos e à sociedade. 

Sindsep repudia ameaça à agente cultural

No último dia 30, o Sindsep repudiou a ameaça do secretário de "quebrar a cara" do agente cultural da Zona Leste, Gustavo Soares, do Movimento Cultural Ermelino Matarazzo. A  entidade entendeu que o comportamento de Sturm demonstra a verdadeira face da gestão do prefeito João Dória Jr.

A ameaça ocorreu na noite de 29 de maio, durante reunião do secretário, realizada na sede da Secretaria de Cultura, com a assessora Barbara Rodarte, a coordenadora do Núcleo das Casas de Cultura, Priscila Machado, e a vítima. O encontro tinha como pauta discutir a possível renovação do contrato de gestão compartilhada da Casa de Cultura Ermelino Matarazzo/Ocupação Cultural Mateus Santos, firmado na gestão do ex-prefeito Fernando Haddad, que se encerrou em abril deste ano.

Durante o encontro, Gustavo Soares questionou a falta de investimentos do poder público na Cultura. Insatisfeito, o secretário alterou o tom de voz, faz várias ameaças, dentre elas a de partir para a agressão contra o agente cultural. “Vou quebrar sua cara! É isso mesmo: vou quebrar sua cara!”, ameaçou o secretário desequilibrado. "Não podemos aceitar um representante do governo que age de forma autoritária, antidemocrática e de coação, como o senhor André Sturm", protestou a direção do Sindsep.  

Edição: Déborah Lima

Título: Secretaria de Cultura é desocupada depois de protesto contra André Sturm, Conteúdo: Trabalhadores da Cultura do município de São Paulo deliberaram, em assembleia realizada na noite da última quinta-feira (1º), por desocupar o prédio da Secretaria de Cultura da cidade de maneira pacífica. A decisão foi tomada em função do entendimento dos integrantes da ocupação de que precisavam defender sua integridade física, pois conhecem a capacidade de violência do Estado. Eles saíram de cabeça erguida e comprometidos a continuar a luta pelas suas demandas e pelos pontos colocados na construção da Cultura do município.  De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Paulo (Sindsep), os trabalhadores saem vitoriosos, pois venceram a invisibilidade imposta pela grande mídia e a repressão a que historicamente estão submetidos. A categoria expôs publicamente a incapacidade do secretário municipal de Cultura, André Sturm, e do prefeito João Doria Jr. de dialogarem. Eles não vão bater na nossa cara de novo, como batem dia após dia em nossas quebradas, protestaram.  A ocupação - realizada por movimentos, artistas e trabalhadores que atuam a favor da cultura -, iniciou na última quarta-feira (31) para exigir a saída imediata de Sturm do comando da Pasta. Nos seis primeiros meses de gestão, o secretário vem promovendo um processo de desmonte da Cultura, cometendo uma série de erros e impondo uma postura autoritária em relação aos trabalhadores, aos servidores públicos e à sociedade.  Sindsep repudia ameaça à agente cultural No último dia 30, o Sindsep repudiou a ameaça do secretário de quebrar a cara do agente cultural da Zona Leste, Gustavo Soares, do Movimento Cultural Ermelino Matarazzo. A  entidade entendeu que o comportamento de Sturm demonstra a verdadeira face da gestão do prefeito João Dória Jr. A ameaça ocorreu na noite de 29 de maio, durante reunião do secretário, realizada na sede da Secretaria de Cultura, com a assessora Barbara Rodarte, a coordenadora do Núcleo das Casas de Cultura, Priscila Machado, e a vítima. O encontro tinha como pauta discutir a possível renovação do contrato de gestão compartilhada da Casa de Cultura Ermelino Matarazzo/Ocupação Cultural Mateus Santos, firmado na gestão do ex-prefeito Fernando Haddad, que se encerrou em abril deste ano. Durante o encontro, Gustavo Soares questionou a falta de investimentos do poder público na Cultura. Insatisfeito, o secretário alterou o tom de voz, faz várias ameaças, dentre elas a de partir para a agressão contra o agente cultural. “Vou quebrar sua cara! É isso mesmo: vou quebrar sua cara!”, ameaçou o secretário desequilibrado. Não podemos aceitar um representante do governo que age de forma autoritária, antidemocrática e de coação, como o senhor André Sturm, protestou a direção do Sindsep.   Edição: Déborah Lima



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.