Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

São Paulo volta às ruas no domingo pela Palestina Livre e o fim dos bombardeios a Gaza

Concentração será às 11 horas na Praça Oswaldo Cruz, início da Paulista, com caminhada até o Ibirapuera

Escrito por: • Publicado em: 23/07/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 23/07/2014 - 00:00

São Paulo volta às ruas no próximo domingo (27) em “ato pela Palestina Livre e o fim dos bombardeios à Faixa de Gaza”. A agressão israelense já deixou mais de 3.500 palestinos feridos e custou a vida de 600, 1/3 deles crianças, segundo a ONU.
De acordo com Antonio Lisboa, da executiva nacional da CUT, “este é o momento dos povos do mundo somarem forças para impeque Israel continue com sua política de terrorismo de Estado, atirando a esmo contra a população civil que vive encurralada em Gaza”.
Há uma batalha contra a desinformação, lembra Lisboa, denunciando que ”os grandes meios de comunicação, com uma postura completamente pró-Israel, tentam vender a ideia de que existe um conflito, como se houvesse alguma simetria numa disputa entre um Estado armado até os dentes e uma população indefesa”.
O dirigente cutista esteve recentemente na Inglaterra acompanhando as mobilizações de solidariedade contra a invasão sionista. “No festival da central inglesa, a TUC, realizado em Tolpuddle, dez mil manifestantes ergueram bandeiras palestinas e condenaram a ocupação e os crimes de guerra praticados por Israel que incluem o bombardeio a escolas e hospitais. Em Londres, foram mais de cem mil. Isso demonstra que cresce a consciência da Humanidade de que a paz só será possível com a construção de dois Estados, um palestino e um israelense, e a garantia do direito de retorno dos refugiados, conforme determina a resolução da ONU, constantemente desrespeitada pelos sionistas”, destacou.
Para Lisboa, é decisivo para o êxito das mobilizações que o movimento sindical se jogue com determinação na convocação das mobilizações que se espraiam pelo país, aprofundando o diálogo com os trabalhadores e a população sobre o direito do povo palestino de resistir e lutar por justiça e independência nacional.
AGENDE-SE -A concentração será às 11 horas na Praça Oswaldo Cruz, no início da avenida Paulista, perto do Metrô Paraíso, com caminhada até o Parque do Ibirapuera.
Fonte: CUT Nacional

Título: São Paulo volta às ruas no domingo pela Palestina Livre e o fim dos bombardeios a Gaza, Conteúdo: São Paulo volta às ruas no próximo domingo (27) em “ato pela Palestina Livre e o fim dos bombardeios à Faixa de Gaza”. A agressão israelense já deixou mais de 3.500 palestinos feridos e custou a vida de 600, 1/3 deles crianças, segundo a ONU. De acordo com Antonio Lisboa, da executiva nacional da CUT, “este é o momento dos povos do mundo somarem forças para impeque Israel continue com sua política de terrorismo de Estado, atirando a esmo contra a população civil que vive encurralada em Gaza”. Há uma batalha contra a desinformação, lembra Lisboa, denunciando que ”os grandes meios de comunicação, com uma postura completamente pró-Israel, tentam vender a ideia de que existe um conflito, como se houvesse alguma simetria numa disputa entre um Estado armado até os dentes e uma população indefesa”. O dirigente cutista esteve recentemente na Inglaterra acompanhando as mobilizações de solidariedade contra a invasão sionista. “No festival da central inglesa, a TUC, realizado em Tolpuddle, dez mil manifestantes ergueram bandeiras palestinas e condenaram a ocupação e os crimes de guerra praticados por Israel que incluem o bombardeio a escolas e hospitais. Em Londres, foram mais de cem mil. Isso demonstra que cresce a consciência da Humanidade de que a paz só será possível com a construção de dois Estados, um palestino e um israelense, e a garantia do direito de retorno dos refugiados, conforme determina a resolução da ONU, constantemente desrespeitada pelos sionistas”, destacou. Para Lisboa, é decisivo para o êxito das mobilizações que o movimento sindical se jogue com determinação na convocação das mobilizações que se espraiam pelo país, aprofundando o diálogo com os trabalhadores e a população sobre o direito do povo palestino de resistir e lutar por justiça e independência nacional. AGENDE-SE -A concentração será às 11 horas na Praça Oswaldo Cruz, no início da avenida Paulista, perto do Metrô Paraíso, com caminhada até o Parque do Ibirapuera. Fonte: CUT Nacional



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.