Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

São Paulo: Rumo a nossa GREVE!

Sindsep apresenta proposta de calendário de mobilizações para a GREVE

Escrito por: • Publicado em: 30/04/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 30/04/2014 - 00:00

 O prefeito Fernando Haddad não apresentou até o momento uma proposta satisfatória aos trabalhadores. A negociação não avança porque não há atendimento das nossas reivindicações. A inflação corrói nossos salários ano após ano e não temos a valorização profissional que esperamos e que foi prometida pelo prefeito durante a campanha eleitoral.
Hoje, o que o Governo impõe é apenas discutir a reformulação das carreiras. No entanto, além das carreiras, precisamos discutir as recomposições salariais. Somos trabalhadores com direito a remuneração adequada. Executamos tarefas de grande importância para toda a cidade. Cuidamos do povo. E se o prefeito não nos valoriza, ele deixa clara a sua falta de comprometimento com a cidade.
Participamos de dezenas de mesas de negociação e as nossas propostas não são devidamente consideradas. O Governo não disse em nenhum momento que fará a Alteração na Lei Salarial que permita o investimento nos servidores públicos. Enquanto alguns municípios aplicam cerca de 54% da receita nos salários, a cidade de São Paulo aplica cerca de 30%.
Ou seja, a grosso modo seria possível quase que dobrar os salários de todos. Fernando Haddad precisa se posicionar. Se não houver o atendimento das necessidades dos trabalhadores a resposta será a GREVE.
Calendário:
7 de maio - Paralisação nas unidades de trabalho
14 de maio - Paralisação nas unidades de trabalho/ Ato e Assembleia às 14 horas - Em frente ao Gabinete do Prefeito
Fonte: SINDSEP

Título: São Paulo: Rumo a nossa GREVE!, Conteúdo:  O prefeito Fernando Haddad não apresentou até o momento uma proposta satisfatória aos trabalhadores. A negociação não avança porque não há atendimento das nossas reivindicações. A inflação corrói nossos salários ano após ano e não temos a valorização profissional que esperamos e que foi prometida pelo prefeito durante a campanha eleitoral. Hoje, o que o Governo impõe é apenas discutir a reformulação das carreiras. No entanto, além das carreiras, precisamos discutir as recomposições salariais. Somos trabalhadores com direito a remuneração adequada. Executamos tarefas de grande importância para toda a cidade. Cuidamos do povo. E se o prefeito não nos valoriza, ele deixa clara a sua falta de comprometimento com a cidade. Participamos de dezenas de mesas de negociação e as nossas propostas não são devidamente consideradas. O Governo não disse em nenhum momento que fará a Alteração na Lei Salarial que permita o investimento nos servidores públicos. Enquanto alguns municípios aplicam cerca de 54% da receita nos salários, a cidade de São Paulo aplica cerca de 30%. Ou seja, a grosso modo seria possível quase que dobrar os salários de todos. Fernando Haddad precisa se posicionar. Se não houver o atendimento das necessidades dos trabalhadores a resposta será a GREVE. Calendário: 7 de maio - Paralisação nas unidades de trabalho 14 de maio - Paralisação nas unidades de trabalho/ Ato e Assembleia às 14 horas - Em frente ao Gabinete do Prefeito Fonte: SINDSEP



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.