Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

São Paulo: Campanha Salarial 2014 Prefeito Fernando Haddad! Atenda nossas reivindicações

Estamos próximos do 1º de maio e sem saber qual é a política salarial de Haddad.

Escrito por: • Publicado em: 24/04/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 24/04/2014 - 00:00

Ato na frente do Gabinete do Prefeito
28 de abril- 14 horas
As negociações com o Governo do prefeito Fernando Haddad emperraram por falta de vontade política. Nas mesas setoriais, o prefeito está propondo tabelas e acordos para os próximos 3 anos, sem sabermos qual será a política de revisão geral anual. Na mesa central, todas as respostas foram adiadas e a proposta de discutir os 11,43% (assinada em protocolo em 2013) sumiu do discurso do Governo. A Administração impõe o conceito de subsídio e não abre a discussão da lei salarial que achatou salários em 60% nos últimos 10 anos. Enquanto isso, o prefeito discute com empresários uma bonificação para servidores que nunca foi debatida em Mesa de Negociação.
Nessa projeção de insegurança, a Assembleia do Sindsep deliberou pelo ato unificado com as demais entidades sindicais em 28 de abril. As entidades rejeitam a proposta do Governo e estão unidas por uma política salarial decente, com reposição da inflação e uma lei salarial que proteja o funcionalismo ativo e aposentado. Queremos respostas do Governo, e que sejam satisfatórias. Haddad prometeu a recomposição salarial dos trabalhadores na sua campanha eleitoral.
Tem que cumprir! Diante do descaso até o momento, estamos indo para a rua mais uma vez, dispostos a engrossar o coro e a pressão.
Participe! Mobilize mais companheir@s
Fonte: SINDSEP

Título: São Paulo: Campanha Salarial 2014 Prefeito Fernando Haddad! Atenda nossas reivindicações, Conteúdo: Ato na frente do Gabinete do Prefeito 28 de abril- 14 horas As negociações com o Governo do prefeito Fernando Haddad emperraram por falta de vontade política. Nas mesas setoriais, o prefeito está propondo tabelas e acordos para os próximos 3 anos, sem sabermos qual será a política de revisão geral anual. Na mesa central, todas as respostas foram adiadas e a proposta de discutir os 11,43% (assinada em protocolo em 2013) sumiu do discurso do Governo. A Administração impõe o conceito de subsídio e não abre a discussão da lei salarial que achatou salários em 60% nos últimos 10 anos. Enquanto isso, o prefeito discute com empresários uma bonificação para servidores que nunca foi debatida em Mesa de Negociação. Nessa projeção de insegurança, a Assembleia do Sindsep deliberou pelo ato unificado com as demais entidades sindicais em 28 de abril. As entidades rejeitam a proposta do Governo e estão unidas por uma política salarial decente, com reposição da inflação e uma lei salarial que proteja o funcionalismo ativo e aposentado. Queremos respostas do Governo, e que sejam satisfatórias. Haddad prometeu a recomposição salarial dos trabalhadores na sua campanha eleitoral. Tem que cumprir! Diante do descaso até o momento, estamos indo para a rua mais uma vez, dispostos a engrossar o coro e a pressão. Participe! Mobilize mais companheir@s Fonte: SINDSEP



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.