Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Presidente da Confetam reúne-se com municipais no RS

Vilani Oliveira esteve em São Leopoldo e Porto Alegre, onde alertou para o risco da volta do neoliberalismo e da extinção de direitos.

Escrito por: Confetam • Publicado em: 08/04/2016 - 20:07 • Última modificação: 11/04/2016 - 17:03 Escrito por: Confetam Publicado em: 08/04/2016 - 20:07 Última modificação: 11/04/2016 - 17:03

. Vilani Oliveira (centro) e dirigentes do Rio Grande do Sul

A presidente da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), Vilani Oliveira, visitou a sede do Sindicato dos Professores Municipais Leopoldenses (CEPROL) na manhã desta sexta-feira (08). A dirigente nacional esteve em São Leopoldo para fortalecer a luta pelos direitos sindicais no município e divulgar o II Congresso Extraordinário da Confederação, que ocorre de 27 a 29 de abril, em Florianópolis (SC).

No encontro com a presidente do CEPROL, Andréia Nunes, e a vice Cristiane Mainardi, a presidente da Confetam disse estar preocupada com a possibilidade de golpe no Brasil, ocasionando a destituição de Dilma Roussef da Presidência da República. “Nós sabemos o preço que custou à classe trabalhadora conquistar a liberdade democrática no país. E não existem elementos jurídicos que torne legítimo o impeachment. O golpe não é contra a Dilma, mas contra a classe trabalhadora”, ressaltou.

Elites querem neoliberalismo de volta

Para Vilani Oliveira, as elites querem a retomada do Estado neoliberal, modelo derrotado nas eleições de 2002 pelo projeto democrático popular. Por isso, considera imporatnte os servidores municipais compreendam o que, de fato, está por trás do golpe: a implantação de um Estado mínimo, com a extinção de direitos trabalhistas e sociaisa conquistados ao longo da história.

Andréia Nunes relatou o Manifesto em Defesa da Democracia, elaborado pelo CEPROL, que será apresentado no dia 14 de abril, no Mocó Cultural. “O Sindicato precisa defender o governo eleito democraticamente, pois exemplos ruins se reproduzem rapidamente”, afirmou a presidente da entidade.

Agenda sindical intensa

Além da visita a São Leopoldo, a presidente da Confetam cumpriu agenda sindical em Porto Alegre, na quarta-feira (06), onde participou de reunião com servidores municipais, na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT/RS), para traçar estratégias de organização do Ramo no estado. À noite, Vilani Oliveira participou da plenária da Frente Brasil Popular.

"Foram momentos importantes de fortalecimento e debates. Fui carinhosamente acolhida por onde passei. Vale salientar a produtiva troca de ideias com o presidente da CUT/RS, Claudir Nespolo, sobre a organização do Ramo e o fortalecimento da democracia. Estes momentos são muito importantes para nos renovarmos e para empoderar os líderes locais. O caminho é árduo, mas repleto de lideranças otimistas e engajadas na luta contra o golpe e em defesa da democracia”, avaliou Vilani Oliveira.

Com informações do Ceprolsindicato.

Título: Presidente da Confetam reúne-se com municipais no RS, Conteúdo: A presidente da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), Vilani Oliveira, visitou a sede do Sindicato dos Professores Municipais Leopoldenses (CEPROL) na manhã desta sexta-feira (08). A dirigente nacional esteve em São Leopoldo para fortalecer a luta pelos direitos sindicais no município e divulgar o II Congresso Extraordinário da Confederação, que ocorre de 27 a 29 de abril, em Florianópolis (SC). No encontro com a presidente do CEPROL, Andréia Nunes, e a vice Cristiane Mainardi, a presidente da Confetam disse estar preocupada com a possibilidade de golpe no Brasil, ocasionando a destituição de Dilma Roussef da Presidência da República. “Nós sabemos o preço que custou à classe trabalhadora conquistar a liberdade democrática no país. E não existem elementos jurídicos que torne legítimo o impeachment. O golpe não é contra a Dilma, mas contra a classe trabalhadora”, ressaltou. Elites querem neoliberalismo de volta Para Vilani Oliveira, as elites querem a retomada do Estado neoliberal, modelo derrotado nas eleições de 2002 pelo projeto democrático popular. Por isso, considera imporatnte os servidores municipais compreendam o que, de fato, está por trás do golpe: a implantação de um Estado mínimo, com a extinção de direitos trabalhistas e sociaisa conquistados ao longo da história. Andréia Nunes relatou o Manifesto em Defesa da Democracia, elaborado pelo CEPROL, que será apresentado no dia 14 de abril, no Mocó Cultural. “O Sindicato precisa defender o governo eleito democraticamente, pois exemplos ruins se reproduzem rapidamente”, afirmou a presidente da entidade. Agenda sindical intensa Além da visita a São Leopoldo, a presidente da Confetam cumpriu agenda sindical em Porto Alegre, na quarta-feira (06), onde participou de reunião com servidores municipais, na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT/RS), para traçar estratégias de organização do Ramo no estado. À noite, Vilani Oliveira participou da plenária da Frente Brasil Popular. Foram momentos importantes de fortalecimento e debates. Fui carinhosamente acolhida por onde passei. Vale salientar a produtiva troca de ideias com o presidente da CUT/RS, Claudir Nespolo, sobre a organização do Ramo e o fortalecimento da democracia. Estes momentos são muito importantes para nos renovarmos e para empoderar os líderes locais. O caminho é árduo, mas repleto de lideranças otimistas e engajadas na luta contra o golpe e em defesa da democracia”, avaliou Vilani Oliveira. Com informações do Ceprolsindicato.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.