Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Prefeitura descumpre acordo e não recebe servidores da Saúde

A prefeita de Mossoró, Cláudia Regina (DEM) desmarcou mais uma audiência agendada com os servidores públicos e que aconteceria às 17h desta terça-feira, 24 de setembro.

Escrito por: • Publicado em: 26/09/2013 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 26/09/2013 - 00:00

Desta feita, o adiamento foi de encontro marcado com os profissionais que integram o Grupo Ocupacional da Saúde. Essa é a quinta vez que a chefe do Executivo mossoroense desmarca uma audiência previamente com os trabalhadores.

“Com esse adiamento, a categoria da Saúde teve frustrada suas expectativas de, finalmente após 9 meses de desgoverno do DEM, de que fossem atendidas suas reivindicações. Desrespeito, vergonha. Esse é o tratamento dispensado aos servidores por parte da prefeitura”, critica Marilda Sousa, presidenta do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDISERPUM), Marilda Sousa.
A sindicalista lembra que além do desrespeito de adiar um encontro poucas horas do seu início, a prefeita descumpriu um acordo. É que a realização da audiência foi uma promessa feita pela administração municipal durante a parada de advertência realizada no dia 11 deste mês.
São várias as reivindicações dos profissionais do Grupo Ocupacional da Saúde, tais como:  falta de médicos e medicamentos nas unidades de saúde municipais, sejam elas básicas ou de referência; demora na marcação de exames e também falta segurança nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).
Os trabalhadores protestam ainda pela resolução da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Belo Horizonte que, inaugurada ano passado ainda segue sem qualquer utilização.
A esses problemas se somam o completo sucateamento da rede municipal de Saúde e a defasagem salarial dos servidores do setor. Eles reivindicam um reajuste salarial de 12% e a prefeitura só concedeu pouco mais de 5%.
“É um absurdo o que a prefeita vem fazendo. Desmarcar audiências seguidamente, sem motivo plausível. Agora, foi pior, porque além de adiar a audiência, ela descumpriu um acordo com a categoria. Isso tudo traduz a falta de respeito, a incompetência, a falta de planejamento e o descaso da administração municipal com o funcionalismo”, destaca Marilda Sousa.
A prefeitura justificou que o adiamento da audiência se deu pelo fato de, no mesmo horário, estar acontecendo a posse dos agentes Saúde. “A prefeita e seus auxiliares não têm competência sequer paga organizar uma agenda. São dois eventos marcados de forma antecipada e ainda agendam para o mesmo dia e horário. Só pode ser brincadeira de mau gosto, finaliza Marilda Sousa”
Título: Prefeitura descumpre acordo e não recebe servidores da Saúde, Conteúdo: Desta feita, o adiamento foi de encontro marcado com os profissionais que integram o Grupo Ocupacional da Saúde. Essa é a quinta vez que a chefe do Executivo mossoroense desmarca uma audiência previamente com os trabalhadores. “Com esse adiamento, a categoria da Saúde teve frustrada suas expectativas de, finalmente após 9 meses de desgoverno do DEM, de que fossem atendidas suas reivindicações. Desrespeito, vergonha. Esse é o tratamento dispensado aos servidores por parte da prefeitura”, critica Marilda Sousa, presidenta do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDISERPUM), Marilda Sousa. A sindicalista lembra que além do desrespeito de adiar um encontro poucas horas do seu início, a prefeita descumpriu um acordo. É que a realização da audiência foi uma promessa feita pela administração municipal durante a parada de advertência realizada no dia 11 deste mês. São várias as reivindicações dos profissionais do Grupo Ocupacional da Saúde, tais como:  falta de médicos e medicamentos nas unidades de saúde municipais, sejam elas básicas ou de referência; demora na marcação de exames e também falta segurança nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Os trabalhadores protestam ainda pela resolução da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Belo Horizonte que, inaugurada ano passado ainda segue sem qualquer utilização. A esses problemas se somam o completo sucateamento da rede municipal de Saúde e a defasagem salarial dos servidores do setor. Eles reivindicam um reajuste salarial de 12% e a prefeitura só concedeu pouco mais de 5%. “É um absurdo o que a prefeita vem fazendo. Desmarcar audiências seguidamente, sem motivo plausível. Agora, foi pior, porque além de adiar a audiência, ela descumpriu um acordo com a categoria. Isso tudo traduz a falta de respeito, a incompetência, a falta de planejamento e o descaso da administração municipal com o funcionalismo”, destaca Marilda Sousa. A prefeitura justificou que o adiamento da audiência se deu pelo fato de, no mesmo horário, estar acontecendo a posse dos agentes Saúde. “A prefeita e seus auxiliares não têm competência sequer paga organizar uma agenda. São dois eventos marcados de forma antecipada e ainda agendam para o mesmo dia e horário. Só pode ser brincadeira de mau gosto, finaliza Marilda Sousa”



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.