Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

O estatuto é a fotografia de uma categoria

Carneiro destacou que os trabalhadores, via de regra, não dão valor ao estatuto. “Vivemos um período de ditadura militar e saímos dela lutando para ter uma nova constituição.

Escrito por: • Publicado em: 21/10/2013 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 21/10/2013 - 00:00

Antes de iniciar a deliberação das propostas para a reforma do estatuto da Federação, foi realizado um painel sobre a “Importância do estatuto”, com a participação do presidente da Federação dos Metalúrgicos do RS, Jairo Carneiro, que definiu o estatuto como a fotografia de uma categoria.
Nosso lema era ‘A luta faz a lei’. O estatuto que regra um país é tão importante quanto o estatuto que rege uma entidade. É o instrumento que articula seus objetivos e as formas de fazê-los. Porque temos a dificuldade de colocar no estatuto o que pretendemos para a entidade?”
O dirigente dos metalúrgicos também alertou para que o estatuto não seja um documento casuísta, com regras que beneficiam uns ou prejudicam outros. “Temos que exercer a capacidade de organizar para todos. Se a entidade tem objetivo, o estatuto deve plasmar esses objetivos.”
FINANÇAS
“Tem um tema que é fatal. As finanças do sindicato é a questão política mais importante de uma entidade, porque reflete como nos inteiramos com as questões do dinheiro. O estatuto tem que prever duras penas e como lidar com as irregularidades cometidas. É um instrumento de relações de controle e de avanços.”
AVANÇOS
“A vida de uma entidade é um caminhar de avanços. A desigualdade, seja ela de gênero, raça ou condição física faz com que as pessoas pela discriminação. Temos que plasmar na nossa entidade conceitos que vão contra essas situações. Tem que ter dispositivos de eliminação desses problemas. No mínimo fazer uma menção.”
“Temos que avançar junto com o grau de compreensão da categoria. Temos que ter a compreensão política, mesmo que signifique diminuir a marcha da caminhada. E isso é a capacidade de viver, de compreender os avanços e o que temos de atraso. A questão não é resolver a situação de uma pessoa, mas do conjunto.”
Pensar no que é possível avançar foi um dos conselhos. “Vocês vão discutir e apresentar mudanças. Desejo que sejam aprovadas melhorias que a categoria seja capaz de absorver e crescer, e crescer no orgulho.”
“A entidade tem uma secretaria da comunidade? Além de fazer a luta, temos que articular a comunidade sobre as lutas que enfrentamos.”
Jairo Carneiro encerrou seu painel afirmando que os servidores públicos são uma das categorias de trabalhadores mais importantes. “O servidor público faz um serviço extraordinariamente importante, que faz acontecer a educação, a saúde, a água tratada e tantos outros serviços necessários para o conjunto da sociedade.”
Fonte: FTRMS

Título: O estatuto é a fotografia de uma categoria, Conteúdo: Antes de iniciar a deliberação das propostas para a reforma do estatuto da Federação, foi realizado um painel sobre a “Importância do estatuto”, com a participação do presidente da Federação dos Metalúrgicos do RS, Jairo Carneiro, que definiu o estatuto como a fotografia de uma categoria. Nosso lema era ‘A luta faz a lei’. O estatuto que regra um país é tão importante quanto o estatuto que rege uma entidade. É o instrumento que articula seus objetivos e as formas de fazê-los. Porque temos a dificuldade de colocar no estatuto o que pretendemos para a entidade?” O dirigente dos metalúrgicos também alertou para que o estatuto não seja um documento casuísta, com regras que beneficiam uns ou prejudicam outros. “Temos que exercer a capacidade de organizar para todos. Se a entidade tem objetivo, o estatuto deve plasmar esses objetivos.” FINANÇAS “Tem um tema que é fatal. As finanças do sindicato é a questão política mais importante de uma entidade, porque reflete como nos inteiramos com as questões do dinheiro. O estatuto tem que prever duras penas e como lidar com as irregularidades cometidas. É um instrumento de relações de controle e de avanços.” AVANÇOS “A vida de uma entidade é um caminhar de avanços. A desigualdade, seja ela de gênero, raça ou condição física faz com que as pessoas pela discriminação. Temos que plasmar na nossa entidade conceitos que vão contra essas situações. Tem que ter dispositivos de eliminação desses problemas. No mínimo fazer uma menção.” “Temos que avançar junto com o grau de compreensão da categoria. Temos que ter a compreensão política, mesmo que signifique diminuir a marcha da caminhada. E isso é a capacidade de viver, de compreender os avanços e o que temos de atraso. A questão não é resolver a situação de uma pessoa, mas do conjunto.” Pensar no que é possível avançar foi um dos conselhos. “Vocês vão discutir e apresentar mudanças. Desejo que sejam aprovadas melhorias que a categoria seja capaz de absorver e crescer, e crescer no orgulho.” “A entidade tem uma secretaria da comunidade? Além de fazer a luta, temos que articular a comunidade sobre as lutas que enfrentamos.” Jairo Carneiro encerrou seu painel afirmando que os servidores públicos são uma das categorias de trabalhadores mais importantes. “O servidor público faz um serviço extraordinariamente importante, que faz acontecer a educação, a saúde, a água tratada e tantos outros serviços necessários para o conjunto da sociedade.” Fonte: FTRMS



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.