Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Municipais de Florianópolis protestam contra PLP 257

Manifestação será realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Sintrasem) nesta quinta-feira (14), às 15h, na Praça Tancredo Neves.

Escrito por: Sintrasem • Publicado em: 08/04/2016 - 18:00 • Última modificação: 11/04/2016 - 11:54 Escrito por: Sintrasem Publicado em: 08/04/2016 - 18:00 Última modificação: 11/04/2016 - 11:54

. Servidores denunciam que projeto ataca o funcionalismo público nas três esferas

Está em tramitação no Congresso o PLP 257/2016, projeto de lei que diz buscar um “reequilíbrio fiscal” impondo perdas aos serviços públicos e aos trabalhadores. Entre as medidas propostas estão o congelamento de salários, a suspensão dos concursos públicos, não pagamento de progressões e gratificações não tidas como salário (como vale-alimentação), alterações na Previdência Social (aumento da alíquota do trabalhador para 14%, criação de regime de previdência complementar) e revisão dos Regimes Jurídicos dos Servidores.

Este projeto de lei, proposto pelo governo Dilma e apoiado pela direita reacionária, é um imenso retrocesso para o povo e para servidores públicos municipais, estaduais e federais. É necessária agora muita mobilização, força e unidade para barrá-lo e defender nossos direitos!

Proposto em março e tramitando em regime de urgência, este projeto é uma das falsas saídas apresentadas para a crise econômica: pretende cortar dos serviços públicos, dos trabalhadores e do povo, enquanto os ricos seguem lucrando. Se há necessidade de “equilibrar as contas”, por que o Governo Federal vetou a auditoria da dívida pública, para a qual metade dos recursos do orçamento federal são destinados? Por qual razão não taxar as grandes fortunas, como prevê a Constituição de 1988? Por que não cobrar dos ricos as soluções para a crise que eles mesmos criaram?

A resposta é simples: tanto o governo Dilma quanto a direita, que quer o impeachment dela, estão do mesmo lado - o lado dos ricos e dos poderosos. Preferem cobrar do povo, da juventude e dos trabalhadores, fazendo com que fique cada vez mais difícil a vida de cada um. Por isso, é necessária a unidade de toda classe trabalhadora, para impedir que este projeto de lei seja aprovado e que mais direitos sejam atacados.

O Sintrasem, como não poderia deixar de ser, está nesta luta, compondo o Fórum Catarinense em Defesa do Serviço Público, preparando mobilizações no Estado de Santa Catarina e em Brasília contra o retrocesso e os ataques. A primeira atividade será uma Manifestação Pública, no dia 14 de abril, às 15h, com concentração na Praça Tancredo Neves. Vamos todos, unificados! Juntos somos fortes! Nenhum direito a menos!

 

Título: Municipais de Florianópolis protestam contra PLP 257, Conteúdo: Está em tramitação no Congresso o PLP 257/2016, projeto de lei que diz buscar um “reequilíbrio fiscal” impondo perdas aos serviços públicos e aos trabalhadores. Entre as medidas propostas estão o congelamento de salários, a suspensão dos concursos públicos, não pagamento de progressões e gratificações não tidas como salário (como vale-alimentação), alterações na Previdência Social (aumento da alíquota do trabalhador para 14%, criação de regime de previdência complementar) e revisão dos Regimes Jurídicos dos Servidores. Este projeto de lei, proposto pelo governo Dilma e apoiado pela direita reacionária, é um imenso retrocesso para o povo e para servidores públicos municipais, estaduais e federais. É necessária agora muita mobilização, força e unidade para barrá-lo e defender nossos direitos! Proposto em março e tramitando em regime de urgência, este projeto é uma das falsas saídas apresentadas para a crise econômica: pretende cortar dos serviços públicos, dos trabalhadores e do povo, enquanto os ricos seguem lucrando. Se há necessidade de “equilibrar as contas”, por que o Governo Federal vetou a auditoria da dívida pública, para a qual metade dos recursos do orçamento federal são destinados? Por qual razão não taxar as grandes fortunas, como prevê a Constituição de 1988? Por que não cobrar dos ricos as soluções para a crise que eles mesmos criaram? A resposta é simples: tanto o governo Dilma quanto a direita, que quer o impeachment dela, estão do mesmo lado - o lado dos ricos e dos poderosos. Preferem cobrar do povo, da juventude e dos trabalhadores, fazendo com que fique cada vez mais difícil a vida de cada um. Por isso, é necessária a unidade de toda classe trabalhadora, para impedir que este projeto de lei seja aprovado e que mais direitos sejam atacados. O Sintrasem, como não poderia deixar de ser, está nesta luta, compondo o Fórum Catarinense em Defesa do Serviço Público, preparando mobilizações no Estado de Santa Catarina e em Brasília contra o retrocesso e os ataques. A primeira atividade será uma Manifestação Pública, no dia 14 de abril, às 15h, com concentração na Praça Tancredo Neves. Vamos todos, unificados! Juntos somos fortes! Nenhum direito a menos!  



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.