Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Maringá: Auxiliares de serviços gerais de escolas e CMEIs deliberam por indicativo greve

Em assembleia realizada sexta-feira, 30, as auxiliares de serviços gerais de escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), deliberaram por indicativo de greve.

Escrito por: • Publicado em: 02/06/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 02/06/2014 - 00:00

A categoria desde dezembro vem lutando pelo recesso em julho e em dezembro, conquista histórica das servidoras que do dia para a noite foi tirada.
No fim de 2013, a secretária de educação se mostrou solicita a atender a esta pauta das trabalhadoras, contudo alegou que para isso, era necessário que houvesse Lei determinando o recesso. Para tanto, ela ficou de estudar a viabilidade e, se possível, encaminhar o Projeto de Lei à Câmara de Vereadores. As trabalhadoras decidiram então aguardar até maio resposta da Seduc.
No entanto, até a data da assembleia, apesar da cobrança do SISMMAR, a Seduc não deu resposta ao pleito das trabalhadoras, não restando outra proposta senão ser deflagrar indicativo de greve. Foi agendada nova assembleia para o dia 11, às 18h (1ª chamada) na Câmara, até lá a categoria aguarda o bom senso da gestão.
Apesar da indignação, as servidoras se comprometeram a continuar exercer funções além das atribuições do cargo, ou seja, cuidar das crianças durante o intervalo.
Fonte: SISMMAR

Título: Maringá: Auxiliares de serviços gerais de escolas e CMEIs deliberam por indicativo greve, Conteúdo: A categoria desde dezembro vem lutando pelo recesso em julho e em dezembro, conquista histórica das servidoras que do dia para a noite foi tirada. No fim de 2013, a secretária de educação se mostrou solicita a atender a esta pauta das trabalhadoras, contudo alegou que para isso, era necessário que houvesse Lei determinando o recesso. Para tanto, ela ficou de estudar a viabilidade e, se possível, encaminhar o Projeto de Lei à Câmara de Vereadores. As trabalhadoras decidiram então aguardar até maio resposta da Seduc. No entanto, até a data da assembleia, apesar da cobrança do SISMMAR, a Seduc não deu resposta ao pleito das trabalhadoras, não restando outra proposta senão ser deflagrar indicativo de greve. Foi agendada nova assembleia para o dia 11, às 18h (1ª chamada) na Câmara, até lá a categoria aguarda o bom senso da gestão. Apesar da indignação, as servidoras se comprometeram a continuar exercer funções além das atribuições do cargo, ou seja, cuidar das crianças durante o intervalo. Fonte: SISMMAR



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.