Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Greve em Crateús: Confetam repudia reajuste zero para professores de nível superior

Entidade publica nota de apoio à greve dos servidores municipais e repudia ameça de achatamento salarial do magistério.

Escrito por: Confetam/CUT • Publicado em: 04/04/2016 - 14:35 • Última modificação: 06/04/2016 - 16:18 Escrito por: Confetam/CUT Publicado em: 04/04/2016 - 14:35 Última modificação: 06/04/2016 - 16:18

. .

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) vem a público declarar total apoio e solidariedade à greve dos servidores de Crateús. Iniciada no dia 28 de março, a paralisação foi motivada pela intransigência da Prefeitura na condução das negociações da Campanha Salarial 2016. O Município ameaça não reajustar os salários dos professores de nível superior este ano. Segundo o Secretário de Educação, Valdenir Rabelo, somente os profissionais com nível médio de formação receberão aumento, já que a gestão é obrigada a atualizar o piso.

Na prática, isso significa que todos os educadores de nível superior ou pós-graduação sofrerão achatamento salarial, tendo em vista a remuneração do segmento ter sido corroída pela inflação do ano de 2015 e início de 2016. A Confetam considera a proposta uma provocação à categoria, uma vez que a ausência de aumento reduziria de 17% para 5,64% a diferença salarial entre os professores de nível médio e superior.

Entregue há mais de dois meses, sem que nenhuma contraproposta digna tenha sido apresentada aos trabalhadores, a pauta de reivindicações da categoria segue ignorada pelo Municipio. Mas o descaso da Prefeitura com as negociações salariais só aumenta a indignação dos servidores e dá ainda mais a força à greve, corroborando a certeza dos profissionais de que a luta pelo direito ao reajuste salarial anual, independentemente do nível de formação dos servidores, é justa e legítima.

A Confetam entende que a postura do Executivo Municipal de total desrespeito aos profissionais do magistério e à legislação vigente merece o mais amplo repúdio da sociedade de Crateús, particularmente da comunidade escolar, que sofre com um quantitativo de 11 mil alunos sem aula em função da postura ditatorial da Prefeitura do Município.

Na certeza de que a luta organizada dos servidores fará valer os direitos da categoria, a Confetam conclama os professores do Município de Cratéus a seguirem firmes na batalha, até a vitória final!

Fortaleza, 04 de abril de 2016

Direção da Confetam

Título: Greve em Crateús: Confetam repudia reajuste zero para professores de nível superior, Conteúdo: A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) vem a público declarar total apoio e solidariedade à greve dos servidores de Crateús. Iniciada no dia 28 de março, a paralisação foi motivada pela intransigência da Prefeitura na condução das negociações da Campanha Salarial 2016. O Município ameaça não reajustar os salários dos professores de nível superior este ano. Segundo o Secretário de Educação, Valdenir Rabelo, somente os profissionais com nível médio de formação receberão aumento, já que a gestão é obrigada a atualizar o piso. Na prática, isso significa que todos os educadores de nível superior ou pós-graduação sofrerão achatamento salarial, tendo em vista a remuneração do segmento ter sido corroída pela inflação do ano de 2015 e início de 2016. A Confetam considera a proposta uma provocação à categoria, uma vez que a ausência de aumento reduziria de 17% para 5,64% a diferença salarial entre os professores de nível médio e superior. Entregue há mais de dois meses, sem que nenhuma contraproposta digna tenha sido apresentada aos trabalhadores, a pauta de reivindicações da categoria segue ignorada pelo Municipio. Mas o descaso da Prefeitura com as negociações salariais só aumenta a indignação dos servidores e dá ainda mais a força à greve, corroborando a certeza dos profissionais de que a luta pelo direito ao reajuste salarial anual, independentemente do nível de formação dos servidores, é justa e legítima. A Confetam entende que a postura do Executivo Municipal de total desrespeito aos profissionais do magistério e à legislação vigente merece o mais amplo repúdio da sociedade de Crateús, particularmente da comunidade escolar, que sofre com um quantitativo de 11 mil alunos sem aula em função da postura ditatorial da Prefeitura do Município. Na certeza de que a luta organizada dos servidores fará valer os direitos da categoria, a Confetam conclama os professores do Município de Cratéus a seguirem firmes na batalha, até a vitória final! Fortaleza, 04 de abril de 2016 Direção da Confetam



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.