Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Graça Costa diz: PL 4330 da Terceirização é apenas a ponta do Iceberg da Reforma Trabalhista Indecente

Cobertura das manifestações contra o PL 4330 da terceirização - Parte 1

Escrito por: • Publicado em: 04/09/2013 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 04/09/2013 - 00:00

Trabalhadores do Brasil e Sindicalistas foram agredidos fisica e moralmente no Congresso Nacional nesta terça-feira, dia 03 de Setembro de 2013, quando ocupavam a Câmara dos Deputados em protesto contra o PL 4330 da Terceirização que seria votado hoje na Comissão de Constituição e Justiça.
A sessão que votaria, nesta terça-feira (3), o PL 4330, da terceirização, foi cancelada. “Essa é mais uma vitória dos trabalhadores, da mobilização. Nós impedimos a votação do projeto hoje, mas amanhã o texto pode ser votado, por isso a mobilização continua”, afirmou o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, em frente ao Congresso Nacional, após o cancelamento. O projeto está na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados onde será votado.
Por volta das 14h30, as polícias militar e legislativa formaram um cordão de isolamento na entrada do Anexo 2 da Câmara dos Deputados, que dá acesso à CCJ, para impea entrada de manifestantes e dirigentes da CUT. Usaram violência, gás de pimenta para barrar a manifestação.
Houve tumulto e correria, e até dirigentes cutistas feridos. Mais cedo, parte dos manifestantes já havia conseguido entrar no plenário do Anexo, que acabou sendo esvaziado. presidente nacional da CUT deixou o local para tentar liberar cutistas que foram presos durante a manifestação.
“O presidente da Câmara baixou regras ditatoriais para que os trabalhadores não possam se manifestar contra o PL 4330, que atropela os direitos com a ampliação da terceirização e da precarização”, disse Graça Costa, Secretária Nacional de Relações do Trabalho da CUT.
O presidente da CUT, Vagner Freitas alertou que a entidade fará campanha nas bases eleitorais para impeque os deputados favoráveis à proposta sejam reeleitos e avalia que que a negociação emperrou por conta da instransigência dos empresários, que pretendem, por meio do PL, tornar legal a fraude aos direitos trabalhistas.
Durante a coletiva, a Secretária de Relações do Trabalho da CUT Nacional, Maria das Graças Costa, afirmou que "o Projeto de Lei 4330 é apenas a ponta do iceberg da reforma trabalhista desejada pelos empresários querem fazer no Brasil de forma indecente. A nossa preocupação não é só com 2 milhões de terceirizados, porque, se fosse para limitar a terceirização e punir a empresa que dá calote, seríamos os primeiros a defender regulamentação, iria ao encontro do que queremos mas o relatório do PL 4330 da Terceirização permite, que em um curto espaço de tempo, todos sejam terceirizados. É sim uma reforma trabalhista imoral nunca antes vista na História do Brasil”
Fonte: SINDSEP de Quixadá

Título: Graça Costa diz: PL 4330 da Terceirização é apenas a ponta do Iceberg da Reforma Trabalhista Indecente, Conteúdo: Trabalhadores do Brasil e Sindicalistas foram agredidos fisica e moralmente no Congresso Nacional nesta terça-feira, dia 03 de Setembro de 2013, quando ocupavam a Câmara dos Deputados em protesto contra o PL 4330 da Terceirização que seria votado hoje na Comissão de Constituição e Justiça. A sessão que votaria, nesta terça-feira (3), o PL 4330, da terceirização, foi cancelada. “Essa é mais uma vitória dos trabalhadores, da mobilização. Nós impedimos a votação do projeto hoje, mas amanhã o texto pode ser votado, por isso a mobilização continua”, afirmou o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, em frente ao Congresso Nacional, após o cancelamento. O projeto está na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados onde será votado. Por volta das 14h30, as polícias militar e legislativa formaram um cordão de isolamento na entrada do Anexo 2 da Câmara dos Deputados, que dá acesso à CCJ, para impea entrada de manifestantes e dirigentes da CUT. Usaram violência, gás de pimenta para barrar a manifestação. Houve tumulto e correria, e até dirigentes cutistas feridos. Mais cedo, parte dos manifestantes já havia conseguido entrar no plenário do Anexo, que acabou sendo esvaziado. presidente nacional da CUT deixou o local para tentar liberar cutistas que foram presos durante a manifestação. “O presidente da Câmara baixou regras ditatoriais para que os trabalhadores não possam se manifestar contra o PL 4330, que atropela os direitos com a ampliação da terceirização e da precarização”, disse Graça Costa, Secretária Nacional de Relações do Trabalho da CUT. O presidente da CUT, Vagner Freitas alertou que a entidade fará campanha nas bases eleitorais para impeque os deputados favoráveis à proposta sejam reeleitos e avalia que que a negociação emperrou por conta da instransigência dos empresários, que pretendem, por meio do PL, tornar legal a fraude aos direitos trabalhistas. Durante a coletiva, a Secretária de Relações do Trabalho da CUT Nacional, Maria das Graças Costa, afirmou que o Projeto de Lei 4330 é apenas a ponta do iceberg da reforma trabalhista desejada pelos empresários querem fazer no Brasil de forma indecente. A nossa preocupação não é só com 2 milhões de terceirizados, porque, se fosse para limitar a terceirização e punir a empresa que dá calote, seríamos os primeiros a defender regulamentação, iria ao encontro do que queremos mas o relatório do PL 4330 da Terceirização permite, que em um curto espaço de tempo, todos sejam terceirizados. É sim uma reforma trabalhista imoral nunca antes vista na História do Brasil” Fonte: SINDSEP de Quixadá



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.