Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Governo descumpre compromisso novamente

A resposta aos trabalhadores foi adiada novamente para próxima mesa de negociação em 24 de abril

Escrito por: • Publicado em: 14/04/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 14/04/2014 - 00:00

O Governo do prefeito Fernando Haddad não está com a postura esperada e cobrada. Confiando na palavra empenhada esperávamos que, hoje (10 de abril), houvesse a apresentação concreta dos pontos de pauta unificada apresentado pelo Sindsep e demais entidades sindicais, como havia sido combinado na Mesa Central de Negociação e no ato unificado. No entanto, mais uma vez o Governo do prefeito Fernando Haddad adiou e frustrou as expectativas. É importante lembrar que a mesa Central prevista anteriormente para 27 de março havia sido adiada para hoje. De lá pra cá, a mobilização dos trabalhadores se intensificou e nenhuma resposta satisfatória do Governo.
No ato realizado em 4 de abril, o Governo atendeu os trabalhadores e disse que só apresentaria uma resposta no dia 10. A resposta foi que não tinha resposta! Segundo o governo será preciso fechar as negociações nas mesas setoriais que discutem carreiras e salários (Saúde, Especialistas, GCM, Agentes Vistores, Educação e admitidos). Porém, nem nas setoriais, nem mesa central fica claro qual será a política salarial do governo Haddad. O Sindsep questionou também o governo quanto ao desrespeito ao SINP e aos compromissos lá assumidos. Há um protocolo assinado pelo Sindsep e pelo governo em que ele se compromete a discutir os 11,43%, mas o governo, ao que tudo indica retirou a proposta de pagamento em 3 parcelas.
Haviam afirmado ainda a intenção de fechar negociações até 17 de abril, mas já consideram que não acontecerá antes do dia 25 de abril. Há no ar uma demonstração de que as propostas concretas serão apresentadas apenas na hora de fechar a data-base (1º de Maio). Parece uma estratégia para termos pouco tempo de organização e esclarecimento da proposta junto aos trabalhadores. Se enganam, pois o Sindsep aposta na mobilização. Os atos unificados dos dias 18 de março e 04 de abril deram o tom do funcionalismo que espera compromissos cumpridos. Amanhã, dia 11 haverá encontro no Fórum para decisobre a continuidade da mobilização e o Sindsep terá assembleia geral no dia 12 às 14 horas.
Sinuca de bico – Questionados sobre a ruptura da atual Lei Salarial e a indevida aplicação de 40% para os salários o Governo não soube explicar/apontar para uma nova lei que invista melhor nos trabalhadores, nem o porquê de nunca o valor chegar aos 40%. O presidente eleito do Sindsep, Sérgio Antiqueira, argumentou que conforme o TCU (Tribunal de Contas da União) não há registro de que tenhamos chegado a 40%. “E pior. Não há qualquer manifestação política do Governo que isso irá mudar”, explicou Sérgio.
Fonte: SINDSEP

Título: Governo descumpre compromisso novamente, Conteúdo: O Governo do prefeito Fernando Haddad não está com a postura esperada e cobrada. Confiando na palavra empenhada esperávamos que, hoje (10 de abril), houvesse a apresentação concreta dos pontos de pauta unificada apresentado pelo Sindsep e demais entidades sindicais, como havia sido combinado na Mesa Central de Negociação e no ato unificado. No entanto, mais uma vez o Governo do prefeito Fernando Haddad adiou e frustrou as expectativas. É importante lembrar que a mesa Central prevista anteriormente para 27 de março havia sido adiada para hoje. De lá pra cá, a mobilização dos trabalhadores se intensificou e nenhuma resposta satisfatória do Governo. No ato realizado em 4 de abril, o Governo atendeu os trabalhadores e disse que só apresentaria uma resposta no dia 10. A resposta foi que não tinha resposta! Segundo o governo será preciso fechar as negociações nas mesas setoriais que discutem carreiras e salários (Saúde, Especialistas, GCM, Agentes Vistores, Educação e admitidos). Porém, nem nas setoriais, nem mesa central fica claro qual será a política salarial do governo Haddad. O Sindsep questionou também o governo quanto ao desrespeito ao SINP e aos compromissos lá assumidos. Há um protocolo assinado pelo Sindsep e pelo governo em que ele se compromete a discutir os 11,43%, mas o governo, ao que tudo indica retirou a proposta de pagamento em 3 parcelas. Haviam afirmado ainda a intenção de fechar negociações até 17 de abril, mas já consideram que não acontecerá antes do dia 25 de abril. Há no ar uma demonstração de que as propostas concretas serão apresentadas apenas na hora de fechar a data-base (1º de Maio). Parece uma estratégia para termos pouco tempo de organização e esclarecimento da proposta junto aos trabalhadores. Se enganam, pois o Sindsep aposta na mobilização. Os atos unificados dos dias 18 de março e 04 de abril deram o tom do funcionalismo que espera compromissos cumpridos. Amanhã, dia 11 haverá encontro no Fórum para decisobre a continuidade da mobilização e o Sindsep terá assembleia geral no dia 12 às 14 horas. Sinuca de bico – Questionados sobre a ruptura da atual Lei Salarial e a indevida aplicação de 40% para os salários o Governo não soube explicar/apontar para uma nova lei que invista melhor nos trabalhadores, nem o porquê de nunca o valor chegar aos 40%. O presidente eleito do Sindsep, Sérgio Antiqueira, argumentou que conforme o TCU (Tribunal de Contas da União) não há registro de que tenhamos chegado a 40%. “E pior. Não há qualquer manifestação política do Governo que isso irá mudar”, explicou Sérgio. Fonte: SINDSEP



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.