Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Fórum Mundial de Educação abre as atividades do Fórum Social Temático 2014

Discutindo “Pedagogia, Região Metropolitana e Periferias”, FME acontece até esta quinta (23)

Escrito por: • Publicado em: 23/01/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 23/01/2014 - 00:00

Na manhã desta terça-feira (21) foi realizada a abertura do Fórum Mundial de Educação (FME), no ginásio poliesportivo da ULBRA, em Canoas, no Rio Grande do Sul. O evento segue até o dia 23 e integra o processo do Fórum Social Temático (FST), que começa na próxima quinta-feira (23).
Para o presidente da CUT-RS, ClauNespolo, que representou o Comitê Organizador do FST, o FME cumpre um importante papel ao reafirmar a plataforma de Paulo Freire, defendendo uma educação pública, gratuita e libertadora.
“Os adversários dos Fóruns afirmam que há muito debate nesses eventos, mas eles não fazem ideia do que significa essas conversas e intercâmbios para os que voltam para as suas cidades com novos paradigmas. Isso faz toda a diferença para ter o mundo que queremos”, afirmou ele.
A professora uruguaia e integrante do Conselho Internacional de Educação de Adultos (em inglês, ICAE), Celita Eccher, afirmou que escolas laicas, com pensamento livre e públicas são fundamentais para construir democracias sólidas. Já o espanhol, membro do Conselho Internacional do Fórum Mundial de Educação, Alberto Sansano, acredita que o FME já tem sua plataforma consolidada pela troca de experiências ao redor do mundo.
Para a ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, a educação tem que ser pautada na dignidade humana. “A educação sem democracia não existe, mas quando a democracia se fortalece os educadores passam a ser gestores”, disse.
Encerrando a cerimônia de abertura, o prefeito de Canoas, Jairo Jorge, lembrou edições antigas do FME e citou a participação István Mészáros, em 2004. “Educação não é mercadoria falava o pensador e nós, que acreditamos na utopia sabemos que a alavanca para chegarmos lá é a educação.”
Com o tema “Pedagogia, Região Metropolitana e Periferias”, o FME deseja ser um espaço de mobilização e participação para canalizar as diferentes visões que apontem as cidades capazes de formar pessoas comprometidas com o desenvolvimento e o bem-estar da comunidade.
Fonte: CUT Nacional

Título: Fórum Mundial de Educação abre as atividades do Fórum Social Temático 2014, Conteúdo: Na manhã desta terça-feira (21) foi realizada a abertura do Fórum Mundial de Educação (FME), no ginásio poliesportivo da ULBRA, em Canoas, no Rio Grande do Sul. O evento segue até o dia 23 e integra o processo do Fórum Social Temático (FST), que começa na próxima quinta-feira (23). Para o presidente da CUT-RS, ClauNespolo, que representou o Comitê Organizador do FST, o FME cumpre um importante papel ao reafirmar a plataforma de Paulo Freire, defendendo uma educação pública, gratuita e libertadora. “Os adversários dos Fóruns afirmam que há muito debate nesses eventos, mas eles não fazem ideia do que significa essas conversas e intercâmbios para os que voltam para as suas cidades com novos paradigmas. Isso faz toda a diferença para ter o mundo que queremos”, afirmou ele. A professora uruguaia e integrante do Conselho Internacional de Educação de Adultos (em inglês, ICAE), Celita Eccher, afirmou que escolas laicas, com pensamento livre e públicas são fundamentais para construir democracias sólidas. Já o espanhol, membro do Conselho Internacional do Fórum Mundial de Educação, Alberto Sansano, acredita que o FME já tem sua plataforma consolidada pela troca de experiências ao redor do mundo. Para a ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, a educação tem que ser pautada na dignidade humana. “A educação sem democracia não existe, mas quando a democracia se fortalece os educadores passam a ser gestores”, disse. Encerrando a cerimônia de abertura, o prefeito de Canoas, Jairo Jorge, lembrou edições antigas do FME e citou a participação István Mészáros, em 2004. “Educação não é mercadoria falava o pensador e nós, que acreditamos na utopia sabemos que a alavanca para chegarmos lá é a educação.” Com o tema “Pedagogia, Região Metropolitana e Periferias”, o FME deseja ser um espaço de mobilização e participação para canalizar as diferentes visões que apontem as cidades capazes de formar pessoas comprometidas com o desenvolvimento e o bem-estar da comunidade. Fonte: CUT Nacional



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.