Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Finanças apresenta proposta de incorporação das gratificações

Após movimento histórico, que remete ao "pacotinho" do Ducci em 2011, categoria deve avaliar o projeto na assembleia de sexta (30)

Escrito por: • Publicado em: 29/05/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 29/05/2014 - 00:00

Hoje, o Sismuc participou de uma mesa de negociação com a Prefeitura a respeito da incorporação das gratificações para os servidores das Finanças. Até hoje, eles ficaram de fora do "pacotinho" do ex-prefeito Luciano Ducci que beneficiou apenas os procuradores e auditores fiscais da secretaria, em 2011. Na reunião de hoje, foi negociado um consenso com a gestão de que todos os funcionários específicos da SMF terão a incorporação. No caso dos agentes administrativos, eles poderão contribuir com o valor das gratificações no FGTS (mesmo retroativamente, ou seja, com relação a anos anteriores), para que sejam indenizados na aposentadoria.
A gestão não enviou o projeto até o prazo assumido, em dezembro de 2013. Desde então, o sindicato tem pressionado e a Prefeitura não tinha respondido. "Cansados de espera, os servidores se organizaram e o fruto dessa mobilização foi a reunião de hoje", defende Ana Paula Cozzolino, coordenadora geral do Sismuc. Na reunião com o presidente da Câmara Municipal, a Procuradoria Geral do Município e as secretarias de Recursos Humanos e Finanças, a categoria esteve em peso, junto com o sindicato. A gestão se comprometeu a apresentar o projeto até a sexta-feira (30) pela manhã, logo antes da Assembleia dos Fiscais - que deverão avaliar a proposta durante o evento.
"Assim, nada ainda está decidido", lembra Irene Rodrigues, coordenadora do sindicato. "Poderá ser uma conquista quando os funcionários se posicionarem, lembrando que a pauta está em negociação e ainda não foi apresentada oficalmente", conlcui. Na assembleia, os trabalhadores discutirão a proposta negociada entre Prefeitura e Sismuc na mesa de hoje - isso se for cumprido o prazo de sexta pela manhã para o envio da proposta pela gestão. Aí então o projeto será enviado para a Câmara, onde poderá sofrer emendas e outras alterações, além da pressão da categoria para que seja aprovado em seu benefício. Depois, passa por sanção ou veto do prefeito e terá 90 dias para ter efeito.
Fonte: SISMUC

Título: Finanças apresenta proposta de incorporação das gratificações, Conteúdo: Hoje, o Sismuc participou de uma mesa de negociação com a Prefeitura a respeito da incorporação das gratificações para os servidores das Finanças. Até hoje, eles ficaram de fora do pacotinho do ex-prefeito Luciano Ducci que beneficiou apenas os procuradores e auditores fiscais da secretaria, em 2011. Na reunião de hoje, foi negociado um consenso com a gestão de que todos os funcionários específicos da SMF terão a incorporação. No caso dos agentes administrativos, eles poderão contribuir com o valor das gratificações no FGTS (mesmo retroativamente, ou seja, com relação a anos anteriores), para que sejam indenizados na aposentadoria. A gestão não enviou o projeto até o prazo assumido, em dezembro de 2013. Desde então, o sindicato tem pressionado e a Prefeitura não tinha respondido. Cansados de espera, os servidores se organizaram e o fruto dessa mobilização foi a reunião de hoje, defende Ana Paula Cozzolino, coordenadora geral do Sismuc. Na reunião com o presidente da Câmara Municipal, a Procuradoria Geral do Município e as secretarias de Recursos Humanos e Finanças, a categoria esteve em peso, junto com o sindicato. A gestão se comprometeu a apresentar o projeto até a sexta-feira (30) pela manhã, logo antes da Assembleia dos Fiscais - que deverão avaliar a proposta durante o evento. Assim, nada ainda está decidido, lembra Irene Rodrigues, coordenadora do sindicato. Poderá ser uma conquista quando os funcionários se posicionarem, lembrando que a pauta está em negociação e ainda não foi apresentada oficalmente, conlcui. Na assembleia, os trabalhadores discutirão a proposta negociada entre Prefeitura e Sismuc na mesa de hoje - isso se for cumprido o prazo de sexta pela manhã para o envio da proposta pela gestão. Aí então o projeto será enviado para a Câmara, onde poderá sofrer emendas e outras alterações, além da pressão da categoria para que seja aprovado em seu benefício. Depois, passa por sanção ou veto do prefeito e terá 90 dias para ter efeito. Fonte: SISMUC



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.