Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Fim do Diálogo - Greve da Guarda: Prefeito se nega a receber Trabalhadores

O Governo Municipal se negou a receber o Sindicato dos Municipários, a Associação da Guarda Municipal e a comissão dos servidores, rompendo o diálogo.

Escrito por: • Publicado em: 03/07/2013 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 03/07/2013 - 00:00

A Guarda Municipal se encontra em greve desde a noite da última terça-feira devido à falta de encaminhamento das pautas de reivindicação, como porte de arma e aumento do percentual de risco de vida e também devido à contrariedade das regulamentações militarizadas de seu regimento de corregedoria e regulamento operacional da corporação.
“Nos causou surpresa a postura de não dialogar com a Guarda devido a greve, pois todos os meses que estes trabalhadores não estiveram mobilizados, não houve nenhuma proposta concreta de encaminhamento por parte do Executivo, levando a Guarda a paralisar suas atividades”, critica Tatiane Lopes Rodrigues, vice-presidente do Simp.
A Guarda estará se reunindo na Câmara de Vereadores na manhã desta quinta-feira, para buscar a intervenção do Legislativo na tentativa de reabertura de negociação junto ao prefeito Eduardo Leite.
“Devido a postura intransigente do prefeito Eduardo Leite, os trabalhadores da Guarda irão buscar junto ao legislativo o apoio e a intervenção neste impasse”, explica Tatiane, acrescentando que o Simp encaminhou denuncia ao Ministério Público Estadual quanto às propostas de decreto apresentada pelo Executivo que ferem legislação Municipal e Federal.


Título: Fim do Diálogo - Greve da Guarda: Prefeito se nega a receber Trabalhadores, Conteúdo: A Guarda Municipal se encontra em greve desde a noite da última terça-feira devido à falta de encaminhamento das pautas de reivindicação, como porte de arma e aumento do percentual de risco de vida e também devido à contrariedade das regulamentações militarizadas de seu regimento de corregedoria e regulamento operacional da corporação. “Nos causou surpresa a postura de não dialogar com a Guarda devido a greve, pois todos os meses que estes trabalhadores não estiveram mobilizados, não houve nenhuma proposta concreta de encaminhamento por parte do Executivo, levando a Guarda a paralisar suas atividades”, critica Tatiane Lopes Rodrigues, vice-presidente do Simp. A Guarda estará se reunindo na Câmara de Vereadores na manhã desta quinta-feira, para buscar a intervenção do Legislativo na tentativa de reabertura de negociação junto ao prefeito Eduardo Leite. “Devido a postura intransigente do prefeito Eduardo Leite, os trabalhadores da Guarda irão buscar junto ao legislativo o apoio e a intervenção neste impasse”, explica Tatiane, acrescentando que o Simp encaminhou denuncia ao Ministério Público Estadual quanto às propostas de decreto apresentada pelo Executivo que ferem legislação Municipal e Federal.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.