Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Entidades repudiam ataques ao presidente da Fessmuc

Ameaças foram feitas nas redes sociais pela presidente do Sindicato de Maringá

Escrito por: Fessmuc/Confetam • Publicado em: 02/05/2016 - 15:44 • Última modificação: 03/05/2016 - 15:05 Escrito por: Fessmuc/Confetam Publicado em: 02/05/2016 - 15:44 Última modificação: 03/05/2016 - 15:05

. .

Foi com espanto que a Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos Municipais Cutistas do Paraná (Fessmuc) e a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam) tomaram conhecimento do post feito pela presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Maringá (Sismmar), Iraídes Baptistone, no qual acusa o companheiro Allysson Nathan, presidente da Fessmuc, de “tentar receber” o imposto sindical dos servidores do município.

Ao contrário do que tenta fazer crer Iraídes Baptistone, no momento da foto o presidente da Fessmuc estava protocolando resposta a ofício enviado pela Prefeitura de Maringá à entidade. No ofício, a prefeitura informa que a presidente do SISMMAR encaminhou documentação à Secretaria de Recursos Humanos alegando que a Federação e a Confederação não mais representariam os servidores municipais da cidade.

Ao afirmar publicamente, sem ouvir os trabalhadores filiados, que as entidades não mais os representam e, ao mesmo tempo, ameaçar “processar” a Fessmuc, a presidente do Sismmar nada mais faz do que demonstrar seu mais profundo desrespeito às instâncias representativas da categoria.

Este desrespeito ficou muito claro durante a última greve dos servidores de Maringá, quando todas as tentativas do presidente e da direção da Fessmuc de intermediar o conflito foram vetadas deliberadamente pela presidente, para posteriormente alegar, como de fato o fez, que a Federação "não estava do lado dos trabalhadores no momento em que mais precisaram".

Longe de defender a categoria, o interesse maior da presidente do Sismmar é somente atacar a imagem do grupo político que a derrotou nas eleições para a Presidência da Fessmuc, realizadas em fevereiro, durante o 4º Congresso da entidade. Iraídes Baptistone foi vencida democraticamente por Allysson Nathan, daí o interesse em atacar a imagem dele, bem como a tentativa de desmoralização da Fessmuc.

Num cenário político de golpe iminente à democracia brasileira, momento em que todos os servidores públicos devem unir forças para derrotar a volta do neoliberalismo e o projeto de destruição dos direitos da classe trabalhadora, é no mínimo lamentável que lideranças do movimento sindical cutista usem de expedientes desta natureza para incentivar a cizânia dentro da categoria dos municipais.

Maringá, 02 de maio de 2016

Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos Municipais Cutistas do Paraná – FESSMUC

Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal - CONFETAM

Título: Entidades repudiam ataques ao presidente da Fessmuc, Conteúdo: Foi com espanto que a Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos Municipais Cutistas do Paraná (Fessmuc) e a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam) tomaram conhecimento do post feito pela presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Maringá (Sismmar), Iraídes Baptistone, no qual acusa o companheiro Allysson Nathan, presidente da Fessmuc, de “tentar receber” o imposto sindical dos servidores do município. Ao contrário do que tenta fazer crer Iraídes Baptistone, no momento da foto o presidente da Fessmuc estava protocolando resposta a ofício enviado pela Prefeitura de Maringá à entidade. No ofício, a prefeitura informa que a presidente do SISMMAR encaminhou documentação à Secretaria de Recursos Humanos alegando que a Federação e a Confederação não mais representariam os servidores municipais da cidade. Ao afirmar publicamente, sem ouvir os trabalhadores filiados, que as entidades não mais os representam e, ao mesmo tempo, ameaçar “processar” a Fessmuc, a presidente do Sismmar nada mais faz do que demonstrar seu mais profundo desrespeito às instâncias representativas da categoria. Este desrespeito ficou muito claro durante a última greve dos servidores de Maringá, quando todas as tentativas do presidente e da direção da Fessmuc de intermediar o conflito foram vetadas deliberadamente pela presidente, para posteriormente alegar, como de fato o fez, que a Federação não estava do lado dos trabalhadores no momento em que mais precisaram. Longe de defender a categoria, o interesse maior da presidente do Sismmar é somente atacar a imagem do grupo político que a derrotou nas eleições para a Presidência da Fessmuc, realizadas em fevereiro, durante o 4º Congresso da entidade. Iraídes Baptistone foi vencida democraticamente por Allysson Nathan, daí o interesse em atacar a imagem dele, bem como a tentativa de desmoralização da Fessmuc. Num cenário político de golpe iminente à democracia brasileira, momento em que todos os servidores públicos devem unir forças para derrotar a volta do neoliberalismo e o projeto de destruição dos direitos da classe trabalhadora, é no mínimo lamentável que lideranças do movimento sindical cutista usem de expedientes desta natureza para incentivar a cizânia dentro da categoria dos municipais. Maringá, 02 de maio de 2016 Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos Municipais Cutistas do Paraná – FESSMUC Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal - CONFETAM



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.