Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Em Concórdia:​ ​ Trabalhadores decidem por GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO DE CONCÓRDIA

Com uma expressiva participação a Assembleia Geral Extraordinária do Sindicato dos Servidores do Município de Concórdia e Região realizada na noite desta quarta-feira, 08 de abril, contou com a participação de aproximadamente 500 pessoas.

Escrito por: • Publicado em: 13/04/2015 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 13/04/2015 - 00:00

O Presidente do Sindicato, Valdomiro Tafarel, deixou claro que este é um momento muito importante para os servidores e tudo será decidido em conjunto com a base.
É importante destacar que conforme o DIEESE o Município pode chegar a gastar 51% da arrecadação do Município com a folha de pagamento, atualmente o Município está comprometendo em torno de 40 a 42%, tendo sim condições de oferecer ganhos reais para a categoria, sem ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal.
A deliberação da assembleia foi deflagrar greve a partir de terça-feira, 14 de abril. Caso o Executivo Municipal oferte 3% de ganho real, a comissão de negociação está autorizada a fechar o acordo coletivo, junto com as demais clausulas específicas e sociais.
Isso prova que mais uma vez o Sindicato está disposto a negociar ganhos reais, evitando assim a greve, esperamos que o Executivo Municipal aceite a proposta de 3% de ganho real para que os servidores e a população não sejam prejudicados e espera que os Vereadores levem em consideração a decisão da Assembleia quando da votação do projeto na Câmara de Vereadores.
De acordo com o Presidente do Sindicato, Valdomiro Tafarel, foram feitas todas as tentativas de negociações possíveis, como esse anseio não ocorreu a maioria optou por deflagrar a greve, “nós tentamos de todas as formas uma negociação que contemplasse as reivindicações da categoria, mas não tivemos êxito, diante disso a maioria votou pela greve”, finaliza o Presidente.


Título: Em Concórdia:​ ​ Trabalhadores decidem por GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO DE CONCÓRDIA, Conteúdo: O Presidente do Sindicato, Valdomiro Tafarel, deixou claro que este é um momento muito importante para os servidores e tudo será decidido em conjunto com a base. É importante destacar que conforme o DIEESE o Município pode chegar a gastar 51% da arrecadação do Município com a folha de pagamento, atualmente o Município está comprometendo em torno de 40 a 42%, tendo sim condições de oferecer ganhos reais para a categoria, sem ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. A deliberação da assembleia foi deflagrar greve a partir de terça-feira, 14 de abril. Caso o Executivo Municipal oferte 3% de ganho real, a comissão de negociação está autorizada a fechar o acordo coletivo, junto com as demais clausulas específicas e sociais. Isso prova que mais uma vez o Sindicato está disposto a negociar ganhos reais, evitando assim a greve, esperamos que o Executivo Municipal aceite a proposta de 3% de ganho real para que os servidores e a população não sejam prejudicados e espera que os Vereadores levem em consideração a decisão da Assembleia quando da votação do projeto na Câmara de Vereadores. De acordo com o Presidente do Sindicato, Valdomiro Tafarel, foram feitas todas as tentativas de negociações possíveis, como esse anseio não ocorreu a maioria optou por deflagrar a greve, “nós tentamos de todas as formas uma negociação que contemplasse as reivindicações da categoria, mas não tivemos êxito, diante disso a maioria votou pela greve”, finaliza o Presidente.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.