Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

É hora de os servidores municipais lutarem contra a PEC Emergencial!

Confetam/CUT convoca federações, sindicatos e trabalhadores da base a pressionarem senadores a se posicionarem contra a retirada de recursos constitucionais obrigatórios da educação e da saúde

Escrito por: Confetam/CUT • Publicado em: 23/02/2021 - 17:46 • Última modificação: 23/02/2021 - 18:02 Escrito por: Confetam/CUT Publicado em: 23/02/2021 - 17:46 Última modificação: 23/02/2021 - 18:02

. .

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal convoca as federações estaduais filiadas, os sindicatos municipais e regionais da categoria, e os trabalhadores e trabalhadoras das prefeituras de todo o país a pressionarem os senadores e senadoras a assumirem postura contrária à proposta do desgoverno Bolsonaro que pretende retirar recursos constitucionais obrigatórios da educação e da saúde, reduzindo os serviços públicos prestados à população e apenando os servidores públicos das três esferas de governo - municipal, estadual e federal.

O presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Economia do desgoverno de ultradireita, Paulo Guedes, e líderes dos partidos aliados estão fechando um acordo em torno da medida, que representa mais um severo golpe no serviço público e nos direitos dos servidores, tendo em vista que modifica limites para gastos com pessoal e proíbe que novas leis autorizem o pagamento retroativo desse tipo de despesa.

É hora de os servidores e servidores públicas municipais lutarem contra a PEC Emergencial!

Título: É hora de os servidores municipais lutarem contra a PEC Emergencial!, Conteúdo: A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal convoca as federações estaduais filiadas, os sindicatos municipais e regionais da categoria, e os trabalhadores e trabalhadoras das prefeituras de todo o país a pressionarem os senadores e senadoras a assumirem postura contrária à proposta do desgoverno Bolsonaro que pretende retirar recursos constitucionais obrigatórios da educação e da saúde, reduzindo os serviços públicos prestados à população e apenando os servidores públicos das três esferas de governo - municipal, estadual e federal. O presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Economia do desgoverno de ultradireita, Paulo Guedes, e líderes dos partidos aliados estão fechando um acordo em torno da medida, que representa mais um severo golpe no serviço público e nos direitos dos servidores, tendo em vista que modifica limites para gastos com pessoal e proíbe que novas leis autorizem o pagamento retroativo desse tipo de despesa. É hora de os servidores e servidores públicas municipais lutarem contra a PEC Emergencial!



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.