Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Dias 17 e 24 de maio: Ocupar Brasília contra reformas de Temer

Com o adiamento da apreciação da reforma da Previdência, manifestações acontecem agora nos dias 17 e 24 de maio, data prevista para a votação

Escrito por: CUT Nacional • Publicado em: 15/05/2017 - 16:52 • Última modificação: 15/05/2017 - 23:01 Escrito por: CUT Nacional Publicado em: 15/05/2017 - 16:52 Última modificação: 15/05/2017 - 23:01

Lidyane Ponciano/CUT Nacional Servidores públicos municipais voltarão à Brasília para a Marcha da Classe Trabalhadora

Em sintonia com a Central Única dos Trabalhadores, a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) convoca os dirigentes das federações filiadas e dos sindicatos da categoria a mobilizarem suas bases para que representantes do Ramo dos Municipais se integrem às atividades em defesa dos direitos e contra as reformas trabalhista e da Previdência, arquitetadas pelo ilegítimo Michel Temer (PMDB) e os aliados golpistas.

Com o adiamento da votação da Reforma da Previdência, todas as centrais sindicais e movimentos sociais intensificam ações de pressão ao Congresso Nacional na semana de 15 a 19 de maio, com mobilização em Brasília prevista para o próximo dia 17 (quarta-feira). Para o dia 24 de maio está confirmada a Marcha e Ocupação de Brasília.

Ampliar a pressão sob os parlamentares 

Uma pressão que já começa a dar resultados. Informações sobre o clima entre os parlamentares no Congresso dão conta que deputados e senadores estão muito incomodados com as mobilizações da classe trabalhadora junto às bases eleitorais dos parlamentares, o que fortalece a esperança para continuar e obter as mudanças de votos que precisamos para reverter o roubo de direitos.

Por este motivo é preciso ampliar a pressão em todos os estados impedindo os parlamentares de respirarem sem que um de nós esteja em seus calcanhares. 

Mutirão visita gabinetes dia 17

No dia 17 haverá um mutirão de visita aos gabinetes dos senadores e a intensificação do trabalho de pressão que tem sido feito pelos representantes da classe trabalhadora.

Depois disso, o passo seguinte será ocupar a Capital Federal contra o roubo dos direitos trabalhistas com caravanas de todo o país, aponta o secretário-geral da CUT, Sérgio Nobre.

“A Greve Geral do último dia 28 mostrou que a informação está chegando à população que está participando de todas as atividades convocadas. E assim como fizemos a maior Greve Geral da história, também faremos a maior manifestação que Brasília já viu”, apontou o secretário-geral da CUT, Sérgio Nobre.

Ato político no dia 24

Trabalhadores de todo o Brasil tomarão as ruas de Brasília, no dia 24 de maio, data em que está prevista a votação, em primeiro turno, da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. A concentração está marcada para às 14 horas, no Estádio Mané Garrincha, de onde os manifestantes saem em passeata até a Esplanada dos Ministério.

À noite, por volta das 19 horas, está previsto o ato político nacional #OcupaBrasília para barrar a tramitação das reformas previdenciária e trabalhista no Congresso Nacional. 

Edição Déborah Lima

Título: Dias 17 e 24 de maio: Ocupar Brasília contra reformas de Temer, Conteúdo: Em sintonia com a Central Única dos Trabalhadores, a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) convoca os dirigentes das federações filiadas e dos sindicatos da categoria a mobilizarem suas bases para que representantes do Ramo dos Municipais se integrem às atividades em defesa dos direitos e contra as reformas trabalhista e da Previdência, arquitetadas pelo ilegítimo Michel Temer (PMDB) e os aliados golpistas. Com o adiamento da votação da Reforma da Previdência, todas as centrais sindicais e movimentos sociais intensificam ações de pressão ao Congresso Nacional na semana de 15 a 19 de maio, com mobilização em Brasília prevista para o próximo dia 17 (quarta-feira). Para o dia 24 de maio está confirmada a Marcha e Ocupação de Brasília. Ampliar a pressão sob os parlamentares  Uma pressão que já começa a dar resultados. Informações sobre o clima entre os parlamentares no Congresso dão conta que deputados e senadores estão muito incomodados com as mobilizações da classe trabalhadora junto às bases eleitorais dos parlamentares, o que fortalece a esperança para continuar e obter as mudanças de votos que precisamos para reverter o roubo de direitos. Por este motivo é preciso ampliar a pressão em todos os estados impedindo os parlamentares de respirarem sem que um de nós esteja em seus calcanhares.  Mutirão visita gabinetes dia 17 No dia 17 haverá um mutirão de visita aos gabinetes dos senadores e a intensificação do trabalho de pressão que tem sido feito pelos representantes da classe trabalhadora. Depois disso, o passo seguinte será ocupar a Capital Federal contra o roubo dos direitos trabalhistas com caravanas de todo o país, aponta o secretário-geral da CUT, Sérgio Nobre. “A Greve Geral do último dia 28 mostrou que a informação está chegando à população que está participando de todas as atividades convocadas. E assim como fizemos a maior Greve Geral da história, também faremos a maior manifestação que Brasília já viu”, apontou o secretário-geral da CUT, Sérgio Nobre. Ato político no dia 24 Trabalhadores de todo o Brasil tomarão as ruas de Brasília, no dia 24 de maio, data em que está prevista a votação, em primeiro turno, da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. A concentração está marcada para às 14 horas, no Estádio Mané Garrincha, de onde os manifestantes saem em passeata até a Esplanada dos Ministério. À noite, por volta das 19 horas, está previsto o ato político nacional #OcupaBrasília para barrar a tramitação das reformas previdenciária e trabalhista no Congresso Nacional.  Edição Déborah Lima



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.