Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

CUT-BA debate lei de mídia e Canal da Cidadania

A Central Única dos Trabalhadores da Bahia promoverá no próximo dia 15 de dezembro, um Fórum de Comunicação com objetivo de debater a comunicação e suas interconexões com a estratégia política e a organização sindical da CUT-BA.

Escrito por: • Publicado em: 12/12/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 12/12/2014 - 00:00

O seminário começa a partir das 9h, no Auditório do Sindae, nos Barris, e terá a participação da secretária Nacional de Comunicação da CUT e Presidente do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Rosane Bertotti e Diretor do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia – IRDEB, Pola Ribeiro que irão abordar temáticas discernentes a comunicação tais como; a nova lei de mídia e o papel da CUT, Comunicação Pública, a responsabilidade do profissional diante das transformações da comunicação e o canal da cidadania.
Para o presidente da CUT Bahia, Cedro Silva, o principal objetivo da atividade é compreender a importância da comunicação para avançar na organização, mobilização e diálogo com a classe trabalhadora e a sociedade.
A secretária nacional de Comunicação da Central Única dos Trabalhadores e coordenadora geral do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Rosane Bertotti, acredita que a comunicação é um direito humano, e que cabe ao Estado adotar políticas públicas para assegurar esse direito. Segundo Bertotti, os grandes conglomerados de mídia têm posição cativa ao lado do capital, atuando como correia de transmissão da ideologia mais reacionária, de privatização, desmonte do Estado, arrocho salarial, retirada de direitos sociais e trabalhistas. “A democratização da comunicação é parte estratégica na luta por uma democracia de fato e como processo de cidadania brasileira”, ressalta a coordenadora geral do Fórum, Rosane Bertotti. Ela destaca ainda o engajamento do FNDC na defesa de um plebiscito para uma nova reforma política.
Desde 2012 o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) colhe assinaturas para levar ao Congresso um projeto de iniciativa popular sobre a regulação dos meios de comunicação, anunciada como prioridade do PT, que apoia a proposta do FNDC, para o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff.
A proposta do FNDC prevê cotas para produção regional e independente, proíbe políticos e igrejas de controlar emissoras de rádio e TV, e impõe limites à concentração do setor e ao controle de diferentes meios de comunicação por um mesmo grupo econômico.
De acordo com Pola Ribeiro, o evento, que será destinado aos profissionais de comunicação do movimento sindical, é de extrema importância e a discursão deverá ser ampliada. “Salvador é a primeira cidade do Brasil beneficiada pelo Canal da Cidadania; o movimento sindical não pode ficar de fora desta conquista da nossa sociedade”, avaliou.

Título: CUT-BA debate lei de mídia e Canal da Cidadania, Conteúdo: O seminário começa a partir das 9h, no Auditório do Sindae, nos Barris, e terá a participação da secretária Nacional de Comunicação da CUT e Presidente do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Rosane Bertotti e Diretor do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia – IRDEB, Pola Ribeiro que irão abordar temáticas discernentes a comunicação tais como; a nova lei de mídia e o papel da CUT, Comunicação Pública, a responsabilidade do profissional diante das transformações da comunicação e o canal da cidadania. Para o presidente da CUT Bahia, Cedro Silva, o principal objetivo da atividade é compreender a importância da comunicação para avançar na organização, mobilização e diálogo com a classe trabalhadora e a sociedade. A secretária nacional de Comunicação da Central Única dos Trabalhadores e coordenadora geral do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Rosane Bertotti, acredita que a comunicação é um direito humano, e que cabe ao Estado adotar políticas públicas para assegurar esse direito. Segundo Bertotti, os grandes conglomerados de mídia têm posição cativa ao lado do capital, atuando como correia de transmissão da ideologia mais reacionária, de privatização, desmonte do Estado, arrocho salarial, retirada de direitos sociais e trabalhistas. “A democratização da comunicação é parte estratégica na luta por uma democracia de fato e como processo de cidadania brasileira”, ressalta a coordenadora geral do Fórum, Rosane Bertotti. Ela destaca ainda o engajamento do FNDC na defesa de um plebiscito para uma nova reforma política. Desde 2012 o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) colhe assinaturas para levar ao Congresso um projeto de iniciativa popular sobre a regulação dos meios de comunicação, anunciada como prioridade do PT, que apoia a proposta do FNDC, para o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. A proposta do FNDC prevê cotas para produção regional e independente, proíbe políticos e igrejas de controlar emissoras de rádio e TV, e impõe limites à concentração do setor e ao controle de diferentes meios de comunicação por um mesmo grupo econômico. De acordo com Pola Ribeiro, o evento, que será destinado aos profissionais de comunicação do movimento sindical, é de extrema importância e a discursão deverá ser ampliada. “Salvador é a primeira cidade do Brasil beneficiada pelo Canal da Cidadania; o movimento sindical não pode ficar de fora desta conquista da nossa sociedade”, avaliou.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.