Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Curitiba: Trabalhadores de escola preocupados com reposição e recesso

Durante o coletivo o Sismuc orientou qual deve ser a conduta para repor a greve dos professores.

Escrito por: • Publicado em: 05/09/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 05/09/2014 - 00:00

Os trabalhadores de escola se reuniram em coletivo para discutir a pauta específica e problemas do cotidiano. Eles demonstram preocupação com relação à reposição de trabalho ocorrida por causa da greve dos professores. Outro ponto reivindicado é isonomia no recesso de fim de ano. O coletivo ainda discutiu a implementação do Pro Funcionário, o caso das cozinheiras e aproveitou para participar da votação do Plebiscito Constituinte.
Em virtude da greve do magistério, os trabalhadores terão que fazer reposição dos dias parados. Contudo, a recomendação do sindicato é que eles assinem na folha ponto os dias repostos (a caneta). O objetivo é cobrar da gestão horas extras e DSR (Descanso Semanal Remunerado), uma vez que esses trabalhadores não participaram da greve. Cada reposição será feita de acordo com o tempo que a escola ficou fechada. O período de reposição também fica a critério de cada local, podendo se estender até o final de dezembro.
Outro ponto discutido durante o coletivo foi referente às cozinheiras. O assunto foi abordado durante a última mesa específica (veja aqui). O sindicato solicitou que os trabalhadores apontem em que escolas têm cozinheiros desempenhando outras funções. “Nosso objetivo é caracterizar o desvio de função. Onde ele ocorre, como e porque ele ocorre. Cabe ressaltar que a gestão deu prioridade as terceirizações. Agora, de posse desse levantamento, vamos nos reunir de novo com a gestão no dia 12 e confrontar dados e apontar precarização”, explica Cáthia Almeida, coordenadora do Sismuc.
O Pro Funcionário também foi exposto. A categoria espera pela publicação do edital até a metade de setembro para discutir os critérios. Por fim, o coletivo também demonstrou preocupação com relação ao recesso em dezembro. Neste tema, a gestão disse que é possível se antecipar com dados históricos de recessos anteriores e sugerir o prazo de fechamento da escola.
Plebiscito
Durante o coletivo, os trabalhadores de escola também participaram da votação do Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva Soberana do Sistema Político. A consulta ocorre de 1 a 7 de setembro. O Sismuc é um dos locais de votação, além de ser entidade organizadora do Plebiscito.
Fonte: SISMUC

Título: Curitiba: Trabalhadores de escola preocupados com reposição e recesso, Conteúdo: Os trabalhadores de escola se reuniram em coletivo para discutir a pauta específica e problemas do cotidiano. Eles demonstram preocupação com relação à reposição de trabalho ocorrida por causa da greve dos professores. Outro ponto reivindicado é isonomia no recesso de fim de ano. O coletivo ainda discutiu a implementação do Pro Funcionário, o caso das cozinheiras e aproveitou para participar da votação do Plebiscito Constituinte. Em virtude da greve do magistério, os trabalhadores terão que fazer reposição dos dias parados. Contudo, a recomendação do sindicato é que eles assinem na folha ponto os dias repostos (a caneta). O objetivo é cobrar da gestão horas extras e DSR (Descanso Semanal Remunerado), uma vez que esses trabalhadores não participaram da greve. Cada reposição será feita de acordo com o tempo que a escola ficou fechada. O período de reposição também fica a critério de cada local, podendo se estender até o final de dezembro. Outro ponto discutido durante o coletivo foi referente às cozinheiras. O assunto foi abordado durante a última mesa específica (veja aqui). O sindicato solicitou que os trabalhadores apontem em que escolas têm cozinheiros desempenhando outras funções. “Nosso objetivo é caracterizar o desvio de função. Onde ele ocorre, como e porque ele ocorre. Cabe ressaltar que a gestão deu prioridade as terceirizações. Agora, de posse desse levantamento, vamos nos reunir de novo com a gestão no dia 12 e confrontar dados e apontar precarização”, explica Cáthia Almeida, coordenadora do Sismuc. O Pro Funcionário também foi exposto. A categoria espera pela publicação do edital até a metade de setembro para discutir os critérios. Por fim, o coletivo também demonstrou preocupação com relação ao recesso em dezembro. Neste tema, a gestão disse que é possível se antecipar com dados históricos de recessos anteriores e sugerir o prazo de fechamento da escola. Plebiscito Durante o coletivo, os trabalhadores de escola também participaram da votação do Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva Soberana do Sistema Político. A consulta ocorre de 1 a 7 de setembro. O Sismuc é um dos locais de votação, além de ser entidade organizadora do Plebiscito. Fonte: SISMUC



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.