Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Curitiba: Sindicato negocia saída para descontos da greve

Os educadores de Curitiba tiveram descontados quatro dias referente a mobilização da greve.

Escrito por: • Publicado em: 07/05/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 07/05/2014 - 00:00

O desconto é instrumento utilizado pelos gestores para tentar intimidar os trabalhadores que reivindicaram ou possam vir a reivindicar seus direitos. Mesmo assim, a direção do Sismuc busca alternativas políticas para tentar reverter esse desconto.
Para o sindicato, judicializar a greve é caminho incerto, por isso a justiça não tem sido nosso primeiro recurso, pois é muito lenta e nem sempre está ao lado dos trabalhadores. Esse entendimento sempre é ressaltado pelo departamento jurídico do Sismuc, sendo mais recentemente informado durante a última assembleia, em 8 de abril, e durante o seminário do Plano de Carreira, que ocorreu em 26 de abril.
A saída, portanto, é pela via da negociação política. Um exemplo claro disso é que a primeira greve dos educadores, em 26 e 27 de novembro de 2013, não teve desconto dos dias parados após mesa de negociação com a Prefeitura. Ou seja, da primeira pra segunda greve, quem mudou o entendimento foi o prefeito e não o sindicato. Outro exemplo claro é com relação aos descontos de dias parados desde 2007 e de diversas categorias. Foi através do diálogo que as punições foram revertidas (Veja abaixo).
2007 – Greve dos educadores (dos dias 12 a 15 de fevereiro)
2009 – Paralisação e greve geral (do dia 31 de março e dos dias 15 a 17 de abril)
2010 – Greve dos guardas (dos dias 22 de fevereiro a 2 de março)
2011 – Paralisação geral (dia 20 de junho)
2011 – Greve dos dentistas (dos dias 22 a 29 de setembro)
2011 – Greve dos excluídos (dos dias 5 de dezembro a 15 de fevereiro de 2012)
2011 – Paralisação dos guardas (dos dias 22 de março)
2012 – Paralisação geral (dos dias 14 e 15 de março)
2012 – Paralisação geral (dos dias 26 de março)
Neste sentido, embora a gestão possa proceder ao desconto, fato que sempre destacamos como os prejuízos possíveis de uma paralisação durante nossos coletivos, reuniões de formação e assembleias, o Sismuc seguirá na sua luta incansável para ampliar direitos dos trabalhadores e combater qualquer prática que vise desunir os trabalhadores.
Por fim, destacamos que são o site sismuc.org.br, o e-mail sismuc@sismuc.org.br e a página oficial do sindicato no Facebook (Sismuc sindicato) os canais de comunicação do servidor, pois é através deles que a instituição age. Caso o servidor tenha alguma dúvida, necessite de algum esclarecimento, são esses os meios pelo qual ele/ela será respondido. Na certeza de que juntos, somos fortes.
Fonte: SISMUC

Título: Curitiba: Sindicato negocia saída para descontos da greve, Conteúdo: O desconto é instrumento utilizado pelos gestores para tentar intimidar os trabalhadores que reivindicaram ou possam vir a reivindicar seus direitos. Mesmo assim, a direção do Sismuc busca alternativas políticas para tentar reverter esse desconto. Para o sindicato, judicializar a greve é caminho incerto, por isso a justiça não tem sido nosso primeiro recurso, pois é muito lenta e nem sempre está ao lado dos trabalhadores. Esse entendimento sempre é ressaltado pelo departamento jurídico do Sismuc, sendo mais recentemente informado durante a última assembleia, em 8 de abril, e durante o seminário do Plano de Carreira, que ocorreu em 26 de abril. A saída, portanto, é pela via da negociação política. Um exemplo claro disso é que a primeira greve dos educadores, em 26 e 27 de novembro de 2013, não teve desconto dos dias parados após mesa de negociação com a Prefeitura. Ou seja, da primeira pra segunda greve, quem mudou o entendimento foi o prefeito e não o sindicato. Outro exemplo claro é com relação aos descontos de dias parados desde 2007 e de diversas categorias. Foi através do diálogo que as punições foram revertidas (Veja abaixo). 2007 – Greve dos educadores (dos dias 12 a 15 de fevereiro) 2009 – Paralisação e greve geral (do dia 31 de março e dos dias 15 a 17 de abril) 2010 – Greve dos guardas (dos dias 22 de fevereiro a 2 de março) 2011 – Paralisação geral (dia 20 de junho) 2011 – Greve dos dentistas (dos dias 22 a 29 de setembro) 2011 – Greve dos excluídos (dos dias 5 de dezembro a 15 de fevereiro de 2012) 2011 – Paralisação dos guardas (dos dias 22 de março) 2012 – Paralisação geral (dos dias 14 e 15 de março) 2012 – Paralisação geral (dos dias 26 de março) Neste sentido, embora a gestão possa proceder ao desconto, fato que sempre destacamos como os prejuízos possíveis de uma paralisação durante nossos coletivos, reuniões de formação e assembleias, o Sismuc seguirá na sua luta incansável para ampliar direitos dos trabalhadores e combater qualquer prática que vise desunir os trabalhadores. Por fim, destacamos que são o site sismuc.org.br, o e-mail sismuc@sismuc.org.br e a página oficial do sindicato no Facebook (Sismuc sindicato) os canais de comunicação do servidor, pois é através deles que a instituição age. Caso o servidor tenha alguma dúvida, necessite de algum esclarecimento, são esses os meios pelo qual ele/ela será respondido. Na certeza de que juntos, somos fortes. Fonte: SISMUC



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.