Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Curitiba: Servidores dos Cmaes reivindicam jornada diária contínua

O encaminhamento da reunião foi de que o sindicato chamará uma reunião com a Saúde para resolver o problema de descontinuidade na jornada de trabalho.

Escrito por: • Publicado em: 13/05/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 13/05/2014 - 00:00

A equipe de fonoaudiólogos e psicólogos que trabalham nos Centros Municipais de Atendimento Especializado (Cmaes) participaram da histórica greve dos 74 dias e, recentemente, conquistaram junto com os demais "excluídos" as 30 horas semanais.
Entretanto, existe um problema na implementação da nova jornada nos Cmaes. Lá, a escala é de três horas pela manhã, interrompida por uma hora e meia de almoço e, depois, outras três horas. A reivindicação, portanto, é que às seis horas diárias sejam corridas.
Atualmente, se o funcionário chega às 9h00, precisa sair ao meio dia, depois voltar às 13h30 e encerrar seu expediente três e meia da tarde. A jornada é considerada insatisfatória e mesmo irracional pela equipe. "Tão importante quanto às 30 horas é fazer com que a conquista amplie a qualidade de vida do trabalhador", considera Irene Rodrigues, coordenadora do Sismuc.
O encaminhamento da reunião foi de que o sindicato chamará uma reunião com a Saúde para resolver o problema de descontinuidade na jornada de trabalho.
Fonte: SISMUC

Título: Curitiba: Servidores dos Cmaes reivindicam jornada diária contínua, Conteúdo: A equipe de fonoaudiólogos e psicólogos que trabalham nos Centros Municipais de Atendimento Especializado (Cmaes) participaram da histórica greve dos 74 dias e, recentemente, conquistaram junto com os demais excluídos as 30 horas semanais. Entretanto, existe um problema na implementação da nova jornada nos Cmaes. Lá, a escala é de três horas pela manhã, interrompida por uma hora e meia de almoço e, depois, outras três horas. A reivindicação, portanto, é que às seis horas diárias sejam corridas. Atualmente, se o funcionário chega às 9h00, precisa sair ao meio dia, depois voltar às 13h30 e encerrar seu expediente três e meia da tarde. A jornada é considerada insatisfatória e mesmo irracional pela equipe. Tão importante quanto às 30 horas é fazer com que a conquista amplie a qualidade de vida do trabalhador, considera Irene Rodrigues, coordenadora do Sismuc. O encaminhamento da reunião foi de que o sindicato chamará uma reunião com a Saúde para resolver o problema de descontinuidade na jornada de trabalho. Fonte: SISMUC



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.