Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Copa 2014: Governo Federal vai à Curitiba para diálogo com centrais e movimentos sociais

Ministro Gilberto Carvalho vai ao Paraná no próximo dia 13 para apresentar balanço e ouvir demandas locais

Escrito por: • Publicado em: 08/05/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 08/05/2014 - 00:00

Na próxima terça-feira (13) será a vez de Curitiba (PR) receber a edição regional do Seminário “Diálogos: Governo-Sociedade Civil: Copa 2014”. Representantes do Governo Federal estarão reunidos com a CUT, outras centrais e os movimentos sociais para dialogar a respeito da realização do evento no Brasil. O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, apresentará o legado que o evento deixará ao País e ouvirá representantes dos movimentos sociais, como o Comitê Popular da Copa de Curitiba.
“O objetivo é que possa, de fato, existir um diálogo a respeito da Copa do Mundo 2014. O Governo Federal apresentará dados oficiais a respeito dos investimentos que resultarão no legado. Do outro lado, os movimentos sociais terão espaço aberto para fazer suas críticas e apresentarem suas demandas”, explica a presidenta da CUT Paraná, Regina Cruz.
De acordo com dados oficiais da Secretaria-Geral da Presidência da República, já foram realizados investimentos em áreas essenciais e que ficarão para os brasileiros, como é o caso da segurança, mobilidade urbana, aeroportos, portos, telecomunicações, turismo e instalações complementares. Entre 2007 e 2013 foram gastos R$ 25,6 bilhões nestes setores. O valor, contudo, fica longe dos investimentos em educação e saúde, que representaram R$ 311,6 bilhões e R$ 447 bilhões no mesmo período respectivamente.
Do outro lado, os movimentos sociais reclamam do investimento de dinheiro público em setores onde os gastos deveriam vir do setor privado. A receita oriunda da administração pública estadual e municipal para o estádio da Arena da Baixada, a violação de direitos humanos em obras da Copa e pessoas desalojadas em virtude das obras são alguns dos temas que serão apresentados.
“O seminário não tem uma receita de bolo, algo pronto. O objetivo é estabelecer um diálogo, mesmo que tardio, para as demandas dos movimentos sociais também sejam atendidas. É notória a grande insatisfação com a Copa, mas é preciso estabelecer um diálogo e é isso que esse seminário se propõe”, relata Regina.
Esta abertura de diálogo com os movimentos sociais faz parte da estratégia do Governo Federal para garantir transparência e publicidade aos gastos relacionados à Copa do Mundo. O evento já aconteceu em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo.
Fonte: CUT Nacional

Título: Copa 2014: Governo Federal vai à Curitiba para diálogo com centrais e movimentos sociais, Conteúdo: Na próxima terça-feira (13) será a vez de Curitiba (PR) receber a edição regional do Seminário “Diálogos: Governo-Sociedade Civil: Copa 2014”. Representantes do Governo Federal estarão reunidos com a CUT, outras centrais e os movimentos sociais para dialogar a respeito da realização do evento no Brasil. O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, apresentará o legado que o evento deixará ao País e ouvirá representantes dos movimentos sociais, como o Comitê Popular da Copa de Curitiba. “O objetivo é que possa, de fato, existir um diálogo a respeito da Copa do Mundo 2014. O Governo Federal apresentará dados oficiais a respeito dos investimentos que resultarão no legado. Do outro lado, os movimentos sociais terão espaço aberto para fazer suas críticas e apresentarem suas demandas”, explica a presidenta da CUT Paraná, Regina Cruz. De acordo com dados oficiais da Secretaria-Geral da Presidência da República, já foram realizados investimentos em áreas essenciais e que ficarão para os brasileiros, como é o caso da segurança, mobilidade urbana, aeroportos, portos, telecomunicações, turismo e instalações complementares. Entre 2007 e 2013 foram gastos R$ 25,6 bilhões nestes setores. O valor, contudo, fica longe dos investimentos em educação e saúde, que representaram R$ 311,6 bilhões e R$ 447 bilhões no mesmo período respectivamente. Do outro lado, os movimentos sociais reclamam do investimento de dinheiro público em setores onde os gastos deveriam vir do setor privado. A receita oriunda da administração pública estadual e municipal para o estádio da Arena da Baixada, a violação de direitos humanos em obras da Copa e pessoas desalojadas em virtude das obras são alguns dos temas que serão apresentados. “O seminário não tem uma receita de bolo, algo pronto. O objetivo é estabelecer um diálogo, mesmo que tardio, para as demandas dos movimentos sociais também sejam atendidas. É notória a grande insatisfação com a Copa, mas é preciso estabelecer um diálogo e é isso que esse seminário se propõe”, relata Regina. Esta abertura de diálogo com os movimentos sociais faz parte da estratégia do Governo Federal para garantir transparência e publicidade aos gastos relacionados à Copa do Mundo. O evento já aconteceu em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo. Fonte: CUT Nacional



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.