Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Contagem regressiva: faltam duas semanas para abertura da Copa

Evento começa em 12 de junho e população aproveita investimentos em infraestrutura, saúde, mobilidade urbana, segurança, entre outros

Escrito por: • Publicado em: 30/05/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 30/05/2014 - 00:00

Faltam apenas duas semanas para o grande dia. Em 14 dias, o Brasil enfrentará a Croácia na Arena Corinthians (SP) no jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014 e dará início ao tão esperado Mundial.
No dia seguinte, 13 de junho, serão disputadas três partidas: México x Camarões, Espanha x Holanda e Chile x Austrália. Dia 14, a Colômbia enfrenta a Grécia; Uruguai joga contra a Costa Rica; Inglaterra e Itália entram em campo juntas; e a Costa do Marfim enfrenta o Japão.
Os 12 estádios que receberão as 64 partidas do torneio já foram testados. Metade das arenas foi inaugurada entre 2012 e 2013 para receber a Copa das Confederações e os outros seis palcos receberam jogo-teste neste ano.
Os complexos apresentam diversas novidades que aumentam o padrão de segurança e conforto para torcedores, delegações e imprensa. As medidas de sustentabilidade adotadas nas construções e operações das arenas servirão como referência, inclusive, para os próximos mundiais da Fifa.
Mas os ganhos de sedear um evento desse porte não ficam só nos estádios. A escolha do Brasil para sediar esse mega evento deixará para toda a população brasileira um legado cheio de avanços na infraestrutura, mobilidade urbana, segurança pública, economia, turismo, emprego, entre outros setores.
Confira os principais 50 benefícios de sediar uma Copa:
1. Mais turistas: A Copa aumenta a visibilidade do Brasil e atrai milhares de turistas estrangeiros.
2. Turistas gastando mais: Estudo da Embratur mostra que os gastos dos turistas brasileiros e estrangeiros durante a Copa devem chegar a R$ 25,2 bilhões em todo País.
3. Mais estrutura para os turistas: R$ 196 milhões estão sendo investidos em infraestrutura turísticas nas cidades-sede: novos Centros de Atendimento ao Turista, mais sinalização e acessibilidade que ficarão para o País.
4. Mais infraestrutura: A Copa antecipa investimentos em infraestrutura necessários para o Brasil.
5. Melhorias no País: Os investimentos são em mobilidade urbana, portos, aeroportos, estádios, segurança, telecomunicações e turismo.
6. Investimentos: R$ 25,6 bilhões é o total de investimentos realizados nas cidades-sede da Copa, detalhados na Matriz de Responsabilidades.
7. A Copa é do Brasil: As 12 sedes estão espalhadas nas cinco regiões do País.
8. Estádios financiados: Não há dinheiro do orçamento da União nos estádios. Eles foram erguidos com financiamento do BNDES, recursos locais e recursos da iniciativa privada e somam R$ 8 bilhões. O valor será pago de volta ao banco.
9. Saúde e educação: A Copa do Mundo não retirou nenhuma verba dos orçamentos da Saúde e da Educação – ambos aumentam a cada ano.
10. Arenas sustentáveis e seguras: Os 12 estádios da Copa são mais modernos e sustentáveis, e trazem conforto e segurança pra os torcedores.
11. Transporte coletivo: São 45 obras de mobilidade urbana que priorizam o transporte coletivo e representam investimento de R$ 8 bilhões. Algumas ficarão prontas depois da Copa do Mundo.
12. Mais transporte: Os projetos de mobilidade urbana para a Copa incluem corredores e vias para ônibus, Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs), projetos de Bus Rapid Transit (BRTs), estações, terminais e Centrais de Controle de Tráfego.
13. Portos: O investimento em portos é de R$ 587 milhões nas cidades-sede de Fortaleza, Natal, Recife, Salvador e Manaus, além de um obra em Santos (SP).
14. Aeroportos mais modernos: Os 21 empreendimentos de reforma e construção de terminais aumentarão em 81% a capacidade de recepção de passageiros nas sedes da Copa do Mundo. Isso fica para o Brasil.
15. Investimentos em aeroportos: O investimento nos aeroportos é de R$ 6,28 bilhões, sendo R$ 3,62 bilhões de recursos privados.
16. Brasil em evidência: Um total de 90 aeroportos serão usados na Copa para o deslocamento de delegações, autoridades e público em geral.
17. Reforço na malha aérea: A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou 1.973 novos voos entre 6 de junho e 20 de julho.
18. Mais voos, mais vagas: A oferta de assentos nos aviões para o período da Copa é 11,5 milhões.
19. Melhorias em telecomunicações: O Brasil está investindo R$ 404 milhões em telecomunicações para a Copa, sendo R$ 233 milhões da Telebras e R$ 171 milhões da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).
20. Tecnologia 4G: A tecnologia móvel 4G, até 10 vezes mais rápida que a atual, já é uma realidade nas 12 cidades-sede.
21. Mais segurança: O investimento em segurança pública no País para a Copa é de R$ 1,9 bilhão.
22. Legado em segurança: Os Centros Integrados de Comando e Controle (12 regionais e 2 nacionais) são um dos grandes legados de segurança para o País.
23. Trabalho voluntário: Até 18 mil participantes do programa Brasil Voluntários do governo federal darão suporte aos torcedores nos pontos principais de movimentação das cidades-sede. Eles receberão certificados da Universidade de Brasília, valorizarão seus currículos e enriquecerão suas experiências pessoais.
24. Empregos: A Copa deve gerar cerca de 710 mil empregos permanentes e temporários.
25. Retorno de investimento: Pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e do Ministério do Turismo mostrou que somente a Copa das Confederações acrescentou R$ 9,7 bilhões ao PIB brasileiro.
26. Acréscimo ao PIB: A expectativa é de que a Copa gere quase R$ 30 bilhões de acréscimo ao PIB Brasileiro (Fonte: Pesquisa Mtur/Fipe).
27. Mais cultura: O investimento na revitalização de museus e de outros equipamentos culturais das cidades-sede é de mais de R$ 50 milhões.
28. Diversidade cultural: O concurso Cultura 2014 abriu espaço para a contratação de 1,2 mil apresentações para reforçar a programação cultural nas cidades-sede.
29. Mais artesanato: O artesanato também terá destaque na Copa com o projeto Vitrines Cultuais, que está selecionando 60 mil peças para venda durante o Mundial.
30. Arenas multiuso: As arenas da Copa são multiuso. Além do futebol, recebem shows, congressos e diversos outros eventos.
31. Copa além das 12 sedes: Os Centros de Treinamento escolhidos pelas 32 seleções estão localizados em 27 cidades.
32. Oportunidades: Cerca R$ 100 milhões já foram gerados em negócios para micro e pequenas empresas por oportunidades ligadas à Copa.
33. Mais exportações: A Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (Apex-Brasil) atingiu US$ 1,8 bilhão em negócios no Projeto Copa somente durante a Copa das Confederações.
34. Capacitação: Cerca de 10 mil profissionais de saúde foram capacitados para atuar na Copa do Mundo ao longo dos últimos três anos.
35. Saúde: As 12 sedes possuem, ao todo, 531 unidades do (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), 66 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e 67 hospitais para atender a população local e os turistas durante o Mundial.
36. Torcida em peso: 2,57 milhões de ingressos da Copa foram alocados para torcedores brasileiros e estrangeiros até o dia 1º de abril.
37. Recorde de solicitações: A Copa do Mundo no Brasil teve um recorde de solicitações de ingressos. Foram 11 milhões de pedidos.
38. Mais hotéis: R$ 1,03 bilhão foi o valor destinado para a construção ou reforma de hotéis em cidades-sede e redondezas pela linha de financiamento ProCopa Turismo do BNDES.
39. Sustentabilidade: O lixo sólido produzido nos 12 estádios da competição será coletado e encaminhado para reciclagem em cooperativas.
40. Preços justos: Um comitê interministerial foi criado para discutir e fiscalizar tarifas de passagens e hotéis durante o torneio.
41. Transparência: As obras da Copa são fiscalizadas por órgãos de controle regionais e federais, como o Tribunal de Contas da União (TCU) e os tribunais estaduais.
42. Qualificação profissional: 166 mil pessoas foram matriculadas em cursos de qualificação do Pronatec Turismo, ultrapassando a meta de 157 mil vagas até a Copa do Mundo.
43. Qualificação turística: O Pronatec Turismo ofereceu 54 cursos de idiomas e profissionalizantes ligados ao setor de turismo em 120 cidades.
44. Integração: A Copa está sendo planejada de forma integrada. Comitê Organizador Local, governos federal e estadual e prefeituras atuam em conjunto na preparação do evento.
45. O mundo de olho no Brasil: Aproximadamente 18 mil jornalistas estão credenciados para a cobertura da Copa. Mais um recorde do Mundial do Brasil.
46. O Brasil: campeão A final da Copa das Confederações atraiu a maior audiência em esportes da TV Brasileira, com cerca de 42 milhões de pessoas sintonizadas.
47. Lembranças da Copa: O Banco Central do Brasil lançou nove modelos de moedas oficiais comemorativas do Mundial, com tiragem de 165 mil exemplares.
48. Selos comemorativos: Os Correios colocaram em circulação 12 selos que retratam as cidades-sede, com tiragem de 600 mil exemplares.
49. Experiência para a vida toda: Cerca de 700 adolescentes terão a oportunidade de vivenciar os jogos da Copa como gandulas.
50. Segurança das fronteiras: A Operação Ágata fará ações de segurança nos quase 17 mil quilômetros de fronteiras brasileiras com os países sul-americanos. Serão mais de 33 mil militares.
Fonte: Portal Brasil

Título: Contagem regressiva: faltam duas semanas para abertura da Copa, Conteúdo: Faltam apenas duas semanas para o grande dia. Em 14 dias, o Brasil enfrentará a Croácia na Arena Corinthians (SP) no jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014 e dará início ao tão esperado Mundial. No dia seguinte, 13 de junho, serão disputadas três partidas: México x Camarões, Espanha x Holanda e Chile x Austrália. Dia 14, a Colômbia enfrenta a Grécia; Uruguai joga contra a Costa Rica; Inglaterra e Itália entram em campo juntas; e a Costa do Marfim enfrenta o Japão. Os 12 estádios que receberão as 64 partidas do torneio já foram testados. Metade das arenas foi inaugurada entre 2012 e 2013 para receber a Copa das Confederações e os outros seis palcos receberam jogo-teste neste ano. Os complexos apresentam diversas novidades que aumentam o padrão de segurança e conforto para torcedores, delegações e imprensa. As medidas de sustentabilidade adotadas nas construções e operações das arenas servirão como referência, inclusive, para os próximos mundiais da Fifa. Mas os ganhos de sedear um evento desse porte não ficam só nos estádios. A escolha do Brasil para sediar esse mega evento deixará para toda a população brasileira um legado cheio de avanços na infraestrutura, mobilidade urbana, segurança pública, economia, turismo, emprego, entre outros setores. Confira os principais 50 benefícios de sediar uma Copa: 1. Mais turistas: A Copa aumenta a visibilidade do Brasil e atrai milhares de turistas estrangeiros. 2. Turistas gastando mais: Estudo da Embratur mostra que os gastos dos turistas brasileiros e estrangeiros durante a Copa devem chegar a R$ 25,2 bilhões em todo País. 3. Mais estrutura para os turistas: R$ 196 milhões estão sendo investidos em infraestrutura turísticas nas cidades-sede: novos Centros de Atendimento ao Turista, mais sinalização e acessibilidade que ficarão para o País. 4. Mais infraestrutura: A Copa antecipa investimentos em infraestrutura necessários para o Brasil. 5. Melhorias no País: Os investimentos são em mobilidade urbana, portos, aeroportos, estádios, segurança, telecomunicações e turismo. 6. Investimentos: R$ 25,6 bilhões é o total de investimentos realizados nas cidades-sede da Copa, detalhados na Matriz de Responsabilidades. 7. A Copa é do Brasil: As 12 sedes estão espalhadas nas cinco regiões do País. 8. Estádios financiados: Não há dinheiro do orçamento da União nos estádios. Eles foram erguidos com financiamento do BNDES, recursos locais e recursos da iniciativa privada e somam R$ 8 bilhões. O valor será pago de volta ao banco. 9. Saúde e educação: A Copa do Mundo não retirou nenhuma verba dos orçamentos da Saúde e da Educação – ambos aumentam a cada ano. 10. Arenas sustentáveis e seguras: Os 12 estádios da Copa são mais modernos e sustentáveis, e trazem conforto e segurança pra os torcedores. 11. Transporte coletivo: São 45 obras de mobilidade urbana que priorizam o transporte coletivo e representam investimento de R$ 8 bilhões. Algumas ficarão prontas depois da Copa do Mundo. 12. Mais transporte: Os projetos de mobilidade urbana para a Copa incluem corredores e vias para ônibus, Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs), projetos de Bus Rapid Transit (BRTs), estações, terminais e Centrais de Controle de Tráfego. 13. Portos: O investimento em portos é de R$ 587 milhões nas cidades-sede de Fortaleza, Natal, Recife, Salvador e Manaus, além de um obra em Santos (SP). 14. Aeroportos mais modernos: Os 21 empreendimentos de reforma e construção de terminais aumentarão em 81% a capacidade de recepção de passageiros nas sedes da Copa do Mundo. Isso fica para o Brasil. 15. Investimentos em aeroportos: O investimento nos aeroportos é de R$ 6,28 bilhões, sendo R$ 3,62 bilhões de recursos privados. 16. Brasil em evidência: Um total de 90 aeroportos serão usados na Copa para o deslocamento de delegações, autoridades e público em geral. 17. Reforço na malha aérea: A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou 1.973 novos voos entre 6 de junho e 20 de julho. 18. Mais voos, mais vagas: A oferta de assentos nos aviões para o período da Copa é 11,5 milhões. 19. Melhorias em telecomunicações: O Brasil está investindo R$ 404 milhões em telecomunicações para a Copa, sendo R$ 233 milhões da Telebras e R$ 171 milhões da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). 20. Tecnologia 4G: A tecnologia móvel 4G, até 10 vezes mais rápida que a atual, já é uma realidade nas 12 cidades-sede. 21. Mais segurança: O investimento em segurança pública no País para a Copa é de R$ 1,9 bilhão. 22. Legado em segurança: Os Centros Integrados de Comando e Controle (12 regionais e 2 nacionais) são um dos grandes legados de segurança para o País. 23. Trabalho voluntário: Até 18 mil participantes do programa Brasil Voluntários do governo federal darão suporte aos torcedores nos pontos principais de movimentação das cidades-sede. Eles receberão certificados da Universidade de Brasília, valorizarão seus currículos e enriquecerão suas experiências pessoais. 24. Empregos: A Copa deve gerar cerca de 710 mil empregos permanentes e temporários. 25. Retorno de investimento: Pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e do Ministério do Turismo mostrou que somente a Copa das Confederações acrescentou R$ 9,7 bilhões ao PIB brasileiro. 26. Acréscimo ao PIB: A expectativa é de que a Copa gere quase R$ 30 bilhões de acréscimo ao PIB Brasileiro (Fonte: Pesquisa Mtur/Fipe). 27. Mais cultura: O investimento na revitalização de museus e de outros equipamentos culturais das cidades-sede é de mais de R$ 50 milhões. 28. Diversidade cultural: O concurso Cultura 2014 abriu espaço para a contratação de 1,2 mil apresentações para reforçar a programação cultural nas cidades-sede. 29. Mais artesanato: O artesanato também terá destaque na Copa com o projeto Vitrines Cultuais, que está selecionando 60 mil peças para venda durante o Mundial. 30. Arenas multiuso: As arenas da Copa são multiuso. Além do futebol, recebem shows, congressos e diversos outros eventos. 31. Copa além das 12 sedes: Os Centros de Treinamento escolhidos pelas 32 seleções estão localizados em 27 cidades. 32. Oportunidades: Cerca R$ 100 milhões já foram gerados em negócios para micro e pequenas empresas por oportunidades ligadas à Copa. 33. Mais exportações: A Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (Apex-Brasil) atingiu US$ 1,8 bilhão em negócios no Projeto Copa somente durante a Copa das Confederações. 34. Capacitação: Cerca de 10 mil profissionais de saúde foram capacitados para atuar na Copa do Mundo ao longo dos últimos três anos. 35. Saúde: As 12 sedes possuem, ao todo, 531 unidades do (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), 66 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e 67 hospitais para atender a população local e os turistas durante o Mundial. 36. Torcida em peso: 2,57 milhões de ingressos da Copa foram alocados para torcedores brasileiros e estrangeiros até o dia 1º de abril. 37. Recorde de solicitações: A Copa do Mundo no Brasil teve um recorde de solicitações de ingressos. Foram 11 milhões de pedidos. 38. Mais hotéis: R$ 1,03 bilhão foi o valor destinado para a construção ou reforma de hotéis em cidades-sede e redondezas pela linha de financiamento ProCopa Turismo do BNDES. 39. Sustentabilidade: O lixo sólido produzido nos 12 estádios da competição será coletado e encaminhado para reciclagem em cooperativas. 40. Preços justos: Um comitê interministerial foi criado para discutir e fiscalizar tarifas de passagens e hotéis durante o torneio. 41. Transparência: As obras da Copa são fiscalizadas por órgãos de controle regionais e federais, como o Tribunal de Contas da União (TCU) e os tribunais estaduais. 42. Qualificação profissional: 166 mil pessoas foram matriculadas em cursos de qualificação do Pronatec Turismo, ultrapassando a meta de 157 mil vagas até a Copa do Mundo. 43. Qualificação turística: O Pronatec Turismo ofereceu 54 cursos de idiomas e profissionalizantes ligados ao setor de turismo em 120 cidades. 44. Integração: A Copa está sendo planejada de forma integrada. Comitê Organizador Local, governos federal e estadual e prefeituras atuam em conjunto na preparação do evento. 45. O mundo de olho no Brasil: Aproximadamente 18 mil jornalistas estão credenciados para a cobertura da Copa. Mais um recorde do Mundial do Brasil. 46. O Brasil: campeão A final da Copa das Confederações atraiu a maior audiência em esportes da TV Brasileira, com cerca de 42 milhões de pessoas sintonizadas. 47. Lembranças da Copa: O Banco Central do Brasil lançou nove modelos de moedas oficiais comemorativas do Mundial, com tiragem de 165 mil exemplares. 48. Selos comemorativos: Os Correios colocaram em circulação 12 selos que retratam as cidades-sede, com tiragem de 600 mil exemplares. 49. Experiência para a vida toda: Cerca de 700 adolescentes terão a oportunidade de vivenciar os jogos da Copa como gandulas. 50. Segurança das fronteiras: A Operação Ágata fará ações de segurança nos quase 17 mil quilômetros de fronteiras brasileiras com os países sul-americanos. Serão mais de 33 mil militares. Fonte: Portal Brasil



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.