Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Confetam repudia violência contra servidores de Curitiba

Entidade se solidariza com manifestantes agredidos e exige a retomada imediata do diálogo com os trabalhadores

Escrito por: Confetam • Publicado em: 20/06/2017 - 18:06 • Última modificação: 20/06/2017 - 18:46 Escrito por: Confetam Publicado em: 20/06/2017 - 18:06 Última modificação: 20/06/2017 - 18:46

Manoel Ramires Policial sorri enquanto agride manifestantes na escadaria da

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) repudia a violência da Polícia do governador do Paraná, Beto Richa, contra os servidores municipais de Curitiba, agredidos nesta terça-feira (20), na Câmara Municipal, quando pressionavam legitimamente os vereadores pela retirada da pauta do Legislativo de um conjunto de projetos de lei do prefeito Rafael Greca que retira direitos da categoria e dos moradores da cidade.

Um grupo de aproximadamente 20 servidores e dirigentes sindicais, que passou a madrugada em vigília em frente ao prédio da Câmara, testemunhou quando, por volta das 5h40, centenas de policiais chegaram ao prédio, já cercado por grades de ferro para impedir o acesso dos trabalhadores em greve contra o "pacotaço" de Greca.

Apesar do enfrentamento entre policiais e manifestantes - muitos deles feridos por golpes de cassetetes, enforcamentos ou intoxicados por gás de pimenta -, um grupo de 30 pessoas conseguiu entrar no Plenário da "Casa do Povo" e a sessão, que iniciaria às 10 horas, acabou sendo suspensa, no início da tarde, até a próxima segunda-feira (26). 

Além dos ataques da Polícia, dos Poderes Executivo e Legislativo, os grevistas também foram golpeado pelo Judiciário. Atendendo a pedido da Presidência da Casa, a juíza Patrícia de Almeida Gomes, da 5ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, concedeu a reintegração de posse da Câmara Municipal, estabelecendo uma multa de diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

Apesar da violência, os servidores municipais de Curitiba comemoraram mais uma suspensão da votação do "pacotaço" e deliberaram, em assembleia da categoria, a interrupção da greve, com retomada na próxima segunda-feira (27).

A Confetam/CUT se solidariza com os agredidos e parabeniza as direções do Sindicato dos Servidores Municipais de Curitiba (Sismuc) e da Federação de Sindicatos de Servidores Municipais do Paraná (Fessmuc), bem como os servidores da base, que conseguiram, mais uma vez, sair vitoriosos no objetivo de barrar a tramitação dos projetos nefastos do prefeito Rafael Greca.

Por fim, a entidade exige dos Três Poderes empenho em abrir novos canais de diálogo com os servidores, de forma que os direitos da categoria e do povo de Curitiba sejam preservados, sob risco de os trabalhos da Câmara Municipal serem obstruídos sempre que a pauta do Legislativo ameace as conquistas da classe trabalhadora.     

Fortaleza, 20 de junho de 2017

Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal - Confetam

Título: Confetam repudia violência contra servidores de Curitiba, Conteúdo: A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) repudia a violência da Polícia do governador do Paraná, Beto Richa, contra os servidores municipais de Curitiba, agredidos nesta terça-feira (20), na Câmara Municipal, quando pressionavam legitimamente os vereadores pela retirada da pauta do Legislativo de um conjunto de projetos de lei do prefeito Rafael Greca que retira direitos da categoria e dos moradores da cidade. Um grupo de aproximadamente 20 servidores e dirigentes sindicais, que passou a madrugada em vigília em frente ao prédio da Câmara, testemunhou quando, por volta das 5h40, centenas de policiais chegaram ao prédio, já cercado por grades de ferro para impedir o acesso dos trabalhadores em greve contra o pacotaço de Greca. Apesar do enfrentamento entre policiais e manifestantes - muitos deles feridos por golpes de cassetetes, enforcamentos ou intoxicados por gás de pimenta -, um grupo de 30 pessoas conseguiu entrar no Plenário da Casa do Povo e a sessão, que iniciaria às 10 horas, acabou sendo suspensa, no início da tarde, até a próxima segunda-feira (26).  Além dos ataques da Polícia, dos Poderes Executivo e Legislativo, os grevistas também foram golpeado pelo Judiciário. Atendendo a pedido da Presidência da Casa, a juíza Patrícia de Almeida Gomes, da 5ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, concedeu a reintegração de posse da Câmara Municipal, estabelecendo uma multa de diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento. Apesar da violência, os servidores municipais de Curitiba comemoraram mais uma suspensão da votação do pacotaço e deliberaram, em assembleia da categoria, a interrupção da greve, com retomada na próxima segunda-feira (27). A Confetam/CUT se solidariza com os agredidos e parabeniza as direções do Sindicato dos Servidores Municipais de Curitiba (Sismuc) e da Federação de Sindicatos de Servidores Municipais do Paraná (Fessmuc), bem como os servidores da base, que conseguiram, mais uma vez, sair vitoriosos no objetivo de barrar a tramitação dos projetos nefastos do prefeito Rafael Greca. Por fim, a entidade exige dos Três Poderes empenho em abrir novos canais de diálogo com os servidores, de forma que os direitos da categoria e do povo de Curitiba sejam preservados, sob risco de os trabalhos da Câmara Municipal serem obstruídos sempre que a pauta do Legislativo ameace as conquistas da classe trabalhadora.      Fortaleza, 20 de junho de 2017 Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal - Confetam



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.