Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Servidores municipais abraçam Campanha Nacional em Defesa dos Serviços Públicos

Confetam convida dirigentes, federações, sindicatos do setor público e privado a contribuírem com financiamento da campanha de mídia da CUT em defesa dos servidores públicos

Escrito por: Déborah Lima • Publicado em: 15/01/2021 - 17:40 • Última modificação: 18/01/2021 - 17:04 Escrito por: Déborah Lima Publicado em: 15/01/2021 - 17:40 Última modificação: 18/01/2021 - 17:04

. .

A presidente da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), Vilani Oliveira, e dirigentes do movimento sindical dos servidores municipais participaram, na manhã desta sexta-feira (15), de reunião virtual com a direção da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e lideranças do Setor Público das três esferas de governo para discutir a Campanha Nacional em Defesa dos Serviços Públicos e dos Servidores.

Além da Confetam, representantes do Proifes, CNTE, CNTSS, Fenasepe, Fenajufe e Condsef também participaram da reunião, na qual foi apresentada a campanha de mídia da CUT, orçada em R$ 2,5 milhões. Todas as entidades nacionais representadas foram convidadas a contribuir com o financiamento. A maior parte da conta da campanha - a ser veiculada em emissoras de TV e rádio do país -, será bancada pela CNTE (R$ 1,2 milhão) e Condsef (R$ 500 mil).

Quota solidária

“A Confetam vai entrar inicialmente com R$ 10 mil, mas a nossa ideia é fazer a sensibilização com a base para que os sindicatos possam entrar nessa quota solidária em defesa dos servidores e dos serviços públicos”, afirma a presidenta da entidade. “Já temos R$ 1,710 milhão, faltam R$ 790 mil para fechar a conta”, calcula Vilani Oliveira.

Para alcançar o valor, a dirigente nacional dos servidores municipais propõe uma quota mínima por sindicato de R$ 1,00 por cada trabalhador e trabalhadora sindicalizada. Por exemplo, se o sindicato tem cem filiados, a cota mínima seria de R$ 100,00. Isso não quer dizer, contudo, que as entidades doem o mínimo, mas o máximo possível - proporcionalmente à capacidade contributiva de cada uma.  

Corações e mentes

Além das doações de diretores da Confetam, das federações filiadas e dos sindicatos da base dos servidores municipais, Vilani Oliveira também quer incentivar a contribuição financeira de entidades representativas de trabalhadores do setor privado. “É importante envolver os sindicatos do setor privado porque todos somos usuários do serviço público. Está aí o exemplo da vacina (contra a Covid), que será distribuída e aplicada pelo SUS. Portanto, nada mais justo que essas entidades também contribuam na defesa dos serviços públicos”, argumenta.

Mas o principal desafio da campanha nacional da CUT, aponta a presidenta da Confetam, será conquistar corações e mentes da população brasileira. “Como vamos incitar os mais necessitados a lutarem pelos seus direitos? Fala-se muito em chegar até a população, mas de que forma? Esse é o grande desafio: como trazer os trabalhadores, os desempregados e os miseráveis para dentro dessa campanha?”, questiona.

Como contribuir?

As contribuições para a Campanha Nacional de Mídia em Defesa dos Serviços Públicos e dos Servidores devem ser depositadas na Conta Corrente 00313-1, Agência 099 do Bradesco, CNPJ 03.990.382/0001-36. Cópia do comprovante de depósito deve ser enviada para o e-mail presidencia@confetam.org.br.

Título: Servidores municipais abraçam Campanha Nacional em Defesa dos Serviços Públicos, Conteúdo: A presidente da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), Vilani Oliveira, e dirigentes do movimento sindical dos servidores municipais participaram, na manhã desta sexta-feira (15), de reunião virtual com a direção da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e lideranças do Setor Público das três esferas de governo para discutir a Campanha Nacional em Defesa dos Serviços Públicos e dos Servidores. Além da Confetam, representantes do Proifes, CNTE, CNTSS, Fenasepe, Fenajufe e Condsef também participaram da reunião, na qual foi apresentada a campanha de mídia da CUT, orçada em R$ 2,5 milhões. Todas as entidades nacionais representadas foram convidadas a contribuir com o financiamento. A maior parte da conta da campanha - a ser veiculada em emissoras de TV e rádio do país -, será bancada pela CNTE (R$ 1,2 milhão) e Condsef (R$ 500 mil). Quota solidária “A Confetam vai entrar inicialmente com R$ 10 mil, mas a nossa ideia é fazer a sensibilização com a base para que os sindicatos possam entrar nessa quota solidária em defesa dos servidores e dos serviços públicos”, afirma a presidenta da entidade. “Já temos R$ 1,710 milhão, faltam R$ 790 mil para fechar a conta”, calcula Vilani Oliveira. Para alcançar o valor, a dirigente nacional dos servidores municipais propõe uma quota mínima por sindicato de R$ 1,00 por cada trabalhador e trabalhadora sindicalizada. Por exemplo, se o sindicato tem cem filiados, a cota mínima seria de R$ 100,00. Isso não quer dizer, contudo, que as entidades doem o mínimo, mas o máximo possível - proporcionalmente à capacidade contributiva de cada uma.   Corações e mentes Além das doações de diretores da Confetam, das federações filiadas e dos sindicatos da base dos servidores municipais, Vilani Oliveira também quer incentivar a contribuição financeira de entidades representativas de trabalhadores do setor privado. “É importante envolver os sindicatos do setor privado porque todos somos usuários do serviço público. Está aí o exemplo da vacina (contra a Covid), que será distribuída e aplicada pelo SUS. Portanto, nada mais justo que essas entidades também contribuam na defesa dos serviços públicos”, argumenta. Mas o principal desafio da campanha nacional da CUT, aponta a presidenta da Confetam, será conquistar corações e mentes da população brasileira. “Como vamos incitar os mais necessitados a lutarem pelos seus direitos? Fala-se muito em chegar até a população, mas de que forma? Esse é o grande desafio: como trazer os trabalhadores, os desempregados e os miseráveis para dentro dessa campanha?”, questiona. Como contribuir? As contribuições para a Campanha Nacional de Mídia em Defesa dos Serviços Públicos e dos Servidores devem ser depositadas na Conta Corrente 00313-1, Agência 099 do Bradesco, CNPJ 03.990.382/0001-36. Cópia do comprovante de depósito deve ser enviada para o e-mail presidencia@confetam.org.br.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.