Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Assembleia da Saúde segue aberta até que Prefeitura envie mais dados

Para servidores, gestão não enviou informações suficientes para tomar decisão.

Escrito por: • Publicado em: 03/09/2014 - 00:00 Escrito por: Publicado em: 03/09/2014 - 00:00

O termômetro da Saúde estourou na assembleia de sexta. E não é de agora que as categorias estão se sentindo esquecidas. Pegou fogo a discussão de três pautas. Quanto à primeira, foi em 8 de agosto que completou um ano que trabalhadores estão esperando pela isonomia de 80% na gratificação da Estratégia de Saúde da Família. Agora, Prefeitura propõe diluir entre mais de sete mil servidores do SUS o benefício que hoje gratifica cerca de dois mil.
Sem saber o quanto isso significaria em redução no valor recebido por muitos deles, cobram da gestão seriedade no diálogo com a base. O encaminhamento foi manter aberta a assembleia e dar o prazo de quinze dias para o envio de dados que esclareçam como fica o vencimento de cada cargo.
Indignados, os trabalhadores queriam negar completamente o que foi apresentado como proposta de isonomia, mas decidiram por exigir demonstrativo de onde virá e para onde irá o recurso. A ideia é que não pode existir arrocho, retrocesso. Isonomia não significa baixar salários de quem já lutou para conquistar valorização e, sim, valorizar quem ainda não foi contemplado.
“Por enquanto, segue aberta a assembleia, que pode tirar indicativo de diversas mobilizações. Isso vai depender do que for apresentado pela gestão”, explica Irene Rodrigues, coordenadora do Sismuc. O sindicato é contra o modelo das gratificações e defende a incorporação imediata de todas elas ao salário dos trabalhadores.
É o caso da segunda pauta, a respeito do Índice de Desenvolvimento de Qualidade (IDQ). A Prefeitura parece ter confundido incorporação com aumento salarial. Na proposta apresentada em negociação dia 22, aumento está longe do ganho real e inclui na mesma conta a incorporção da gratificação. “Isso não constitui aumento real, mas a conquista de um direito. O aumento é separado da incorporação, não é a mesma coisa. Isso não foi o que negociamos e, portanto, a assembleia deliberou que o Sismuc reivindica que se reabra a mesa com a Prefeitura”, afirma Irene.
Foi apresentada também nova proposta de funcionamento tanto do IDQ, que passa a se chamar “Qualifica SUS – Curitiba”, quanto do dificil provimento. A terceira deliberação dos trabalhadores da Saúde em assembleia foi a de que vão consultar os documentos (clicando aqui) e dar sugestões ao Sismuc até dia 10 de setembro. As minutas aparecem a partir da página 8. No dia 15 deste mês, as considerações serão apresentadas à Prefeitura e à próxima Assembleia da Saúde.
Serviço:
(Base) Prazo para envio decomentários sobre minutas do Qualifica SUS (novo IDQ) e difícil provimento
Data: 10 de setembro
(Prefeitura) Prazo para envio de dados
Data: 15 de setembro
Fonte: SISMUC

Título: Assembleia da Saúde segue aberta até que Prefeitura envie mais dados, Conteúdo: O termômetro da Saúde estourou na assembleia de sexta. E não é de agora que as categorias estão se sentindo esquecidas. Pegou fogo a discussão de três pautas. Quanto à primeira, foi em 8 de agosto que completou um ano que trabalhadores estão esperando pela isonomia de 80% na gratificação da Estratégia de Saúde da Família. Agora, Prefeitura propõe diluir entre mais de sete mil servidores do SUS o benefício que hoje gratifica cerca de dois mil. Sem saber o quanto isso significaria em redução no valor recebido por muitos deles, cobram da gestão seriedade no diálogo com a base. O encaminhamento foi manter aberta a assembleia e dar o prazo de quinze dias para o envio de dados que esclareçam como fica o vencimento de cada cargo. Indignados, os trabalhadores queriam negar completamente o que foi apresentado como proposta de isonomia, mas decidiram por exigir demonstrativo de onde virá e para onde irá o recurso. A ideia é que não pode existir arrocho, retrocesso. Isonomia não significa baixar salários de quem já lutou para conquistar valorização e, sim, valorizar quem ainda não foi contemplado. “Por enquanto, segue aberta a assembleia, que pode tirar indicativo de diversas mobilizações. Isso vai depender do que for apresentado pela gestão”, explica Irene Rodrigues, coordenadora do Sismuc. O sindicato é contra o modelo das gratificações e defende a incorporação imediata de todas elas ao salário dos trabalhadores. É o caso da segunda pauta, a respeito do Índice de Desenvolvimento de Qualidade (IDQ). A Prefeitura parece ter confundido incorporação com aumento salarial. Na proposta apresentada em negociação dia 22, aumento está longe do ganho real e inclui na mesma conta a incorporção da gratificação. “Isso não constitui aumento real, mas a conquista de um direito. O aumento é separado da incorporação, não é a mesma coisa. Isso não foi o que negociamos e, portanto, a assembleia deliberou que o Sismuc reivindica que se reabra a mesa com a Prefeitura”, afirma Irene. Foi apresentada também nova proposta de funcionamento tanto do IDQ, que passa a se chamar “Qualifica SUS – Curitiba”, quanto do dificil provimento. A terceira deliberação dos trabalhadores da Saúde em assembleia foi a de que vão consultar os documentos (clicando aqui) e dar sugestões ao Sismuc até dia 10 de setembro. As minutas aparecem a partir da página 8. No dia 15 deste mês, as considerações serão apresentadas à Prefeitura e à próxima Assembleia da Saúde. Serviço: (Base) Prazo para envio decomentários sobre minutas do Qualifica SUS (novo IDQ) e difícil provimento Data: 10 de setembro (Prefeitura) Prazo para envio de dados Data: 15 de setembro Fonte: SISMUC



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.