Professores de Maracanaú realizam o primeiro ato do estado de greve no MP

22/01/2016 - 16:36

Os trabalhadores querem que o Ministério Público interceda nas negociações salariais com a Prefeitura de Maracanaú, que estão emperradas.

Suprema realizou, na manhã desta sexta-feira (22), o primeiro ato do calendário de mobilizações do estado de greve dos profissionais da educação de Maracanaú. A manifestação ocorreu na sede da Promotoria de Justiça da Comarca do Município - Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE). Os servidores foram pedir a mediação do MP nas negociações da Campanha Salarial 2016, já que não houve avanços nas discussões entre Prefeitura e trabalhadores.

Os professores protocolaram um pedido de audiência contendo a pauta da categoria, que inclui o fim dos sábados letivos, a destinação dos recursos de precatório do antigo Fundef para os professores, a melhoria das condições física das escolas e um reajuste salarial de 11,36%, conforme orienta o Ministério da Educação (MEC) para os profissionais do magistério público nacional. 

Três reuniões e nenhum avanço

O estado de greve foi deliberado em assembleia da categoria, realizada na última quarta-feira (20), em virtude de o sindicato ter se reunido três vezes com o prefeito Firmo Camurça, sem que nenhum retorno positivo tenha sido dado à proposta dos trabalhadores. A assembleia também aprovou uma agenda de mobilizações.

Confira: 

27 de janeiro – Reunião de Apresentação do Estudo: “Realidade e Perspectivas do Fundeb de Maracanaú”. Em três turnos: de 8 às 10h, de 14 às 16h e de 18 às 20h. Local: Suprema (Rua Manoel Pereira, 191); 
28 de janeiro – Ato na CE 060, em frente a CEASA, às 8 horas; 
04 de fevereiro – Ato de pré-carnaval, chamado de “Bloco da Liseira”. Local: Sede do Suprema, às 16 horas 

Atos regionais 

11 de fevereiro - Regional 2 
12 de fevereiro – Regional 3
15 de fevereiro – Regional 1 
16 de fevereiro – Regionais 4 e 5
17 de fevereiro – Regional 6

Os encontros regionais, previstos para acontecer às 15h30, são preparatórios à grande Assembleia Geral dos profissionais de educação de Maracanaú, que pretende, se não houver nenhum avanço rumo ao reajuste de 11,36%, deflagrar a greve geral. A atividade está marcada para o dia 18 de fevereiro, às 9 horas, em local a ser definido. 

Com informações do Suprema