Plataforma Operária e Camponesa da Energia promove segunda etapa do curso de formação de formadores

27/03/2017 - 18:08

A secretária de Relações do Trabalho da Confetam/CUT, Carmem Santiago, representará o Ramo

No Dia Nacional de Paralisação contra as reformas de Michel Temer, marcado para esta sexta-feira (31), trabalhadores de todo o Brasil se reunirão em São Paulo para participar da segunda etapa da Formação de Formadores da Plataforma Operária e Camponesa da Energia. O curso, que contará com a participação da secretária de Relações do Trabalho da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), Carmem Santiago, prossegue até o dia 2 de abril, no Centro de Formação Sagrada Família, no bairro do Ipiranga.

O processo de formação de formadores será dividido em oito etapas, com conteúdo definido pela Coordenação Política Pedagógica (CPP). Para a segunda etapa do curso, está estabelecido o estudo do método de trabalho e o aprofundamento da análise sobre a indústria do petróleo e gás no Brasil, com a presença de José Sérgio Gabrielli Azevedo, professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e ex-presidente da Petrobrás. 

A finalidade do curso é capacitar formadores de todo o país, que integrarão um grupo nacional de estudos composto por representantes das organizações que compõem a Plataforma  da Energia, entre elas a Confetam/CUT. A ideia é levar os cursos de formação para cada estado e assim formar uma grande equipe de multiplicadores. 

"O objetivo central é criar um forte sentimento de pertença, organização e ação, que defenda as riquezas nacionais – no caso central as fontes e estruturas da área da energia – para que estas sirvam prioritariamente para a melhoria das condições de educação, saúde, empregos e direitos do povo brasileiro", resume a CCP. 

A coordenação explica que o curso priorizará, a médio e longo prazo, um intenso trabalho nacional de esclarecimento e incentivo a ações voltadas à questão energética nacional, com ênfase no debate sobre a exploração nacional do petróleo (pré-sal) e outras fontes de energia.

"Num cenário onde empresas internacionais se aproveitam do discurso do 'combate à corrupção' para espoliar as riquezas energéticas do Brasil e tentar legitimar a privatização dos bens naturais do país, como água, petróleo, terras e minérios, é fundamental que a população brasileira e a classe trabalhadora sejam esclarecidos, para que possam reagir criticamente aos ataques do governo ilegítimo de Michel Temer, que ameaçam a soberania e o futuro da Nação", afirma a secretária de Relações do Trabalho da Confetam/CUT, Carmem Santiago.

Serviço:

Segunda etapa da Formação de Formadores da Plataforma Operária e Camponesa de Energia

De 31 de março a 2 de abril de 2017, das 9 às 16 horas

Centro de Formação Sagrada Família - Rua Padre Marchetti, 237, Ipiranga/São Paulo

 

Fonte: Plataforma Operária e Camponesa da Energia