Presidenta da Confetam/CUT visita Canindé para levar solidariedade a grevistas

27/11/2018 - 15:28

Em greve há mais de uma semana, servidores municipais reivindicam o pagamento dos salários de outubro.

Professores da Educação Infantil, porteiros, merendeiras, servidores do necrotério, trabalhadores da Saúde, serviços gerais e servidores de diversos segmentos do serviço público de Canindé (CE) estão em greve há mais de uma semana. Eles pressionam a Administração do município a pagar os salários atrasados. A categoria ainda não recebeu os vencimentos do mês de outubro.  

"A prefeita (Rozário Ximenes) diz que não tem dinheiro para pagar (outubro). Pagou parcelado uma parte (setembro) para algumas categorias para quebrar o movimento", explica a presidenta da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), Vilani Oliveira. A dirigente nacional visitou o município, nesta segunda-feira (26), para levar a solidariedade da entidade à luta e à resistência dos servidores municipais. 

Dirigentes explicam motivos da greve à população

Ela e a presidenta do Sindicato Unificado dos Profissionais em Educação no Município de Maracanaú (Suprema), Joana Lopes, se reuniram com a base e deram entrevistas a dois programas de rádio de grande audiência no município para explicar os motivos da greve e pedir o apoio da população à justa reivindicação dos servidores públicos. 

"Lamentamos a postura da prefeita, que se nega a negociar, e orientamos o sindicato a recorrer ao Tribunal de Justiça para solicitar uma mediação e tentar resolver esse conflito, que trata da sobrevivência das pessoas, da vida, dos salários dos servidores", afirmou Vilani Oliveira. "Toda solidariedade é necessária neste momento. A luta continua e a resistência também", concluiu a presidenta da Confetam/CUT.