Seminário Nacional discute Energia, Educação e Indústria

21/07/2016 - 13:41

Evento defende o destino destes recursos para a Educação, geração de emprego, distribuição de renda e desenvolvimento industrial

Começou nesta quinta-feira (21/07), no município do Rio de Janeiro, o II Seminário Nacional: Energia, Educação e Indústria no Brasil. Organizado pelas entidades integrantes da Plataforma Operária e Camponesa de Energia, o evento prossegue até a quarta-feira (22/07), no Cenam, em Santa Teresa. A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) está representada no seminário pela secretária de Relações do Trabalho, Carmem Santiago.

Além dos servidores municipais e professores, petroleiros, trabalhadores do setor elétrico, engenheiros, metalúrgicos, representantes do Movimento de Atingidos por Barragens (MAB) e da juventude organizada também prestigiaram a atividade.

O seminário pretende intensificar o processo de luta estratégico, que articule as questões da energia, em defesa da Petrobrás e do petróleo brasileiro, por mudanças no modelo elétrico, com o uso dos recursos destes setores, em especial para a Educação, direitos e desenvolvimento industrial no país, além da maior geração de empregos e distribuição de renda.

Programa

A programação desta quinta (21) conta com uma mesa de abertura para organizar um documento com as principais informações do que foi planejado e realizado. Logo depois, serão realizadas mesas temáticas sobre a "Realidade atual e as perspectivas mundiais", com o professor Igor Fuser (UFABC), "A realidade atual e perspectiva da indústria do petróleo no Brasil", com o professor José Sergio Gabrielli (UFBA), e "A realidade atual e indústria metalúrgica no Brasil", com Paulo Cayres (CNM). 

Na sexta (22), o seminário contará com as seguintes mesas temáticas: "Realidade atual e perspectivas da indústria de eletricidade no Brasil", com o professor Dorival Gonçalves Jr (UFMT), "A realidade atual e cenário da educação no Brasil", em um debate com Juçara Dutra Vieira (CNTE) e Elida de Lima (LPJ/UNE). Por fim, haverá uma discussão sobre "Os desafios da Plataforma de Energia", com afirmações e encaminhamentos.

Com informações da FUP