Plenária Interestadual confirma participação do Centro Oeste na mobilização nacional de 10 de agosto

18/07/2018 - 16:20

O ramo dos municipais foi representado na plenária pela diretora da Confetam/CUT, Dilma Gomes, presidenta da Federação Sindical dos Servidores Públicos Municipais do Estado de Mato Grosso do Sul.

A Plenária Interestadual da Central Única dos Trabalhadores MS-MT foi realizada nesta terça-feira (17), na sede da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (FETEMS), em Campo Grande. O ramo dos servidores públicos municipais foi representado pela diretora da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), Dilma Gomes, presidenta da Federação Sindical dos Servidores Públicos Municipais do Estado de Mato Grosso do Sul (Fessep/MS).

Além de Dilma Gomes, também secretária-geral da CUT MS, a mesa de abertura foi composta por Sueli Veiga, presidenta interina da Fetems e secretária-adjunta de Formação da CUT Nacional; Sérgio Nobre, secretário-geral da CUT Nacional; Genilson Duarte, presidente da CUT MS; João Dourado, presidente da CUT MT; Roberto Miguel, da Executiva da CUT Brasília, da CUT Nacional e coordenador Financeiro da ECO/CUT; Maria Cristina Evangelista, secretária de Formação da CUT GO e coordenadora Pedagógica da ECO/CUT; Vilson Gregório, secretario de Finanças CUT MS; e Amarildo Cruz, deputado estadual pelo PT MS.

Durante o dia, estiveram presentes ainda os deputados estaduais João Grandão (PT) e Pedro Kemp (PT), além do deputado federal Vander Loubet (PT). O evento reuniu mais de 120 pessoas, entre lideranças sindicais Cutistas, de movimentos sociais e partidos políticos de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, além do Distrito Federal e Goiás. 

Pelas intervenções no debate sobre conjuntura realizado pela manhã, ficou evidente a percepção de que o povo vem sentindo os terríveis efeitos da deterioração das condições vida.

Conforme Sérgio Nobre, secretário-geral da CUT nacional, “grande parte das famílias brasileiras tem alguém que ficou desempregado ou que está sobre um trabalho deficitário, tal como o trabalho intermitente. O preço do gás aumentou, a fome voltou, os trabalhadores estão entendendo o que está acontecendo, eles percebem que está difícil conseguir um emprego”, disse.

Genilson Duarte, presidente da CUT-MS, reforçou esta opinião de Nobre. “Nós percebemos esta situação nas cidades. Campo Grande no governo Lula era um canteiro de obras, tinha muita placa de contrata-se, agora você anda no Centro da cidade o que mais se vê é placa de aluga-se, aumentou a sub-renda, vemos muitas pessoas vendendo bombons, doces, bolos nas ruas para melhorar o orçamento, enquanto o ideal seria terem um trabalho formal”, afirmou o dirigente.

Para o Presidente da CUT-MT, João Dourado, “o golpe afetou a cabeça das pessoas no início, mas agora eu espero que o povo venha conosco, a mortalidade infantil voltou no Brasil, precisamos incentivar nossa militância para a luta, porque agora eles querem legitimar o golpe através das eleições”, disse Dourado.

Foi encaminhado que os sindicatos CUTistas, junto com outras centrais sindicais, movimentos sociais e partidos políticos vão organizar protestos em todos o país em um grande Dia Nacional de Paralisação e Mobilização, na data de 10 agosto - o Dia do Basta!

Outra deliberação importante foi a decisão sobre a participação dos sindicalistas no dia 15 de agosto em Brasília, no ato de inscrição da candidatura de Lula à Presidência da República.

Sérgio Nobre comunicou que Lula estava muito consciente da decisão de se apresentar à Polícia Federal, naquela oportunidade no ABC. Lula disse aos sindicalistas e militantes apoiadores: “vocês serão as minhas pernas e a minha voz".

Neste sentido, a Central Única dos Trabalhadores deliberou pela realização das Plenárias Interestaduais para conversar com as pessoas sobre a importância de defendermos Lula Livre, Lula Inocente e Lula Presidente enquanto possibilidade de reversão das famigeradas políticas golpistas, tal como a reforma trabalhista.

Foram apresentados durante o evento as lideranças sindicais CUTistas Webergton Sudário (Corumbá), José Abelha Neto e Adriano Teles, pré-candidatos ao cargo de deputado estadual, Jaime Teixeira, Kriegel do Nascimento e Gleice Jane Barbosa, pré-candidatos e pré-candidata ao cargo de deputada federal. Eleitos, eles se comprometeram a defender a Plataforma da Classe Trabalhadora da CUT.  

Humberto Amaducci, pré-candidato do PT a governador do estado de Mato Grosso do Sul, esteve presente no evento e também se comprometeu, se for eleito, a defender a Plataforma da Classe Trabalhadora.

O período da tarde foi reservado ao debate entre sindicalistas e lideranças dos movimentos sociais.

Sueli Veiga, presidenta interina da FETEMS e dirigente nacional da CUT, lembrou que, nos momentos mais difíceis, o povo brasileiro soube dar uma grande resposta. Ela citou como exemplo a derrota da ditadura militar, e as eleições de Lula e de Dilma.

“Elegemos um operário presidente, uma mulher presidenta, isto é uma transformação espetacular neste país, assim transformamos a vida do povo brasileiro, as coisas ficaram ruins quando eles tomaram o governo no golpe, pois este projeto que está aí não ganhou no voto”, disse Sueli Veiga.

Sérgio Nobre afirmou que saiu do evento animado para o 10 de agosto - Dia do Basta! “Só podemos ter a reversão deste processo de piora na vida das pessoas com a eleição de Lula. Ele é a nossa cara, ele expressa a nossa formação de trabalhadores”.

Com informações da ECO/CUT 

Edição Déborah Lima