Prefeitura desmarca reunião de hoje e servidores fazem ato amanhã

19/01/2016 - 15:50

O Sindicato dos Profissionais em Educação de Maracanaú convoca para ato público nesta quarta (20), às 8 horas, em frente à sede da Pasta

Mesmo com o Governo Federal definindo o índice de reposição salarial dos profissionais do magistério, que ficou em 11,36%, a Prefeitura descumpriu o acordo e desmarcou a mesa de negociação que havia ficada pré-agendada para amanhã, dia 19 de janeiro, de acordo com promessa do prefeito Firmo Camurça. A informação foi data no fim da manhã desta segunda-feira (18/01) pela secretária do prefeito. 

No encontro, seriam colocadas em discussão as demandas econômicas da campanha salarial 2016. Entre elas, disposições sobre reajuste salarial do magistério, reajuste do auxílio refeição, incorporação da gratificação dos secretários escolares, Estatuto do Magistério e Plano de Carreiras. 

Até o até o dia seis de janeiro, data da última mesa, o Ministério da Educação ainda não tinha oficializado as estimativas de receitas para o ano de 2016 na educação pública brasileira.

Sendo assim, o Sindicato Unificado dos Profissionais em Educação no Município de Maracanaú (Suprema) reafirma a necessidade do ato público marcado para o dia 20 de janeiro, quarta-feira, às 8 horas, em frente à Secretaria de Educação (Rua Capitão Valdemar de Lima, 202 – Centro).

De acordo com Joana Ferreira, presidente do Suprema, a entidade não quer chegar em fevereiro sem nenhuma definição, por isto, se não houver uma proposta até o dia 20, irá propor a sua base que se inicie um calendário de mobilização a partir do dia 21 de janeiro. Ela reclama da falta de posicionamento do governo, que até agora não deu resposta sobre os itens da  pauta salarial apresentada. “Estávamos dispostos a negociar durante o recesso e a prefeitura não avançou. Agora, nossa resposta será na rua. Vamos denunciar para a sociedade as dificuldades a que estão submetidos os educadores de nosso município”, acrescenta a presidente.

A diretoria do Sindicato entende que o momento é de união do conjunto dos trabalhadores da educação de Maracanaú e será necessário produzir um calendário de organização e mobilização coerente com o tamanho da cidade e que faça chegar aos quatro cantos do município a convocação para a luta trabalhista. O objetivo é fazer esse desenho estratégico no evento do dia 20 de janeiro.